Smec-SFI desenvolve projeto para alunos cegos e com baixa visão

“Todos nós podemos ir além e alcançar nossos objetivos, independente da nossa deficiência”. A afirmação é da professora de Braille, Rhuana Barreto, que é cega desde o primeiro mês de idade. Ela é a responsável pelo projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Smec) de São Francisco de Itabapoana (SFI) para alunos cegos e com baixa visão.

Atualmente, a equipe do Setor de Educação Inclusiva da Smec realiza visitas nas escolas da rede municipal. O objetivo é realizar um levantamento quantitativo e das necessidades dos alunos.

“A partir desta análise, vamos desenvolver material adaptado e garantir que o aluno tenha todas as condições necessárias para o processo de aprendizagem. Aos estudantes cegos e com baixa visão, estaremos aqui para fazer o melhor por vocês. Contem comigo”, afirmou Rhuana. Ela destacou que o projeto proporcionará também capacitação de Braille — sistema de escrita tátil — aos mediadores.

O secretário municipal de Educação e Cultura, Robson Santana, salientou sobre a importância do projeto. “A própria Rhuana, que é são franciscana, precisou buscar a educação adaptada em outro município. A partir de agora, nós queremos acabar com isso e promover cada vez mais a inserção desses alunos na educação e cultura”, salientou.

Para a prefeita Francimara Barbosa Lemos, a iniciativa evidencia a preocupação da gestão municipal em promover educação de qualidade para todos. Ela lembrou que a Smec iniciou nesta semana o projeto “Libras, além da inclusão dos estudantes surdos”, para incluir de maneira comunicacional os estudantes surdos e ouvintes.

Ascom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.