Saúde define protocolos de segurança para a Festa de Santo Amaro

Com o objetivo de definir protocolos de segurança, dentro do Regras da Vida, para a realização da tradicional Festa de Santo Amaro, na Baixada Campista, que completará 289 anos no próximo dia 15, o subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav), Charbell Kury, esteve reunido, nesta terça-feira (11), com representantes de órgãos ligados à cultura e ao esporte. Foram discutidas também regras sanitárias para outros eventos a serem realizados no período do verão, principalmente na praia do Farol de São Tomé, onde, segundo Charbell, já foi montado um polo de testagem para Covid-19, que, inclusive, funciona aos sábados e domingos. Nos finais de semana, o atendimento é feito por uma equipe itinerante.

O encontro, que aconteceu na Secretaria Municipal de Saúde, contou com as presenças da subsecretária de Turismo, Patrícia Cordeiro, da vice-presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Fernanda Campos, da gerente do Sesc/Campos, Débora Magalhães, e de duas representantes do Departamento de Vigilância Sanitária (VISA). A assessora chefe da VISA, Vera Cardoso de Melo, participou da reunião de forma virtual.

Médico infectologista e virologista, Charbell Kury, ressaltou que o cenário atual é preocupante, diante da disseminação da variante Ômicron e do aumento de casos de gripe, inclusive a coinfecção. “Já imaginávamos que poderíamos chegar a esse quadro, já que uma pessoa infectada pela Ômicron pode transmitir para outras 11 pessoas, perdendo apenas para o sarampo, onde um infectado transmite para 14”, explicou.

Durante a reunião foram destacados dois eventos da Festa de Santo Amaro que causam mais preocupação, que são as missas e a Cavalhada. “São eventos que reúnem um grande número de pessoas e geram aglomeração”, disse a subsecretária de Turismo, Patrícia Cordeiro. Na opinião da assessora chefe da VISA, Vera Cardoso de Melo, o momento exige medidas emergenciais, que incluem a não aglomeração. “É primordial que as pessoas continuem usando máscaras e mantenham o distanciamento social”, disse Vera.

Foi sugerida a instalação de telões nas imediações da igreja para que as pessoas possam acompanhar as missas, além da redução do número de fiéis que terão acesso ao interior da igreja e exigência do comprovante de vacinação com, pelo menos duas doses da vacina contra a Covid-19, para assistir às celebrações. Para a Cavalhada, Charbell orientou conversar com a Guarda Civil Municipal e com o Instituto Municipal de Trânsito e Transportes (IMTT) sobre a possibilidade de se criar cinturões com guarda-corpo (proteção que pode ser em gradil, alvenaria, entre outros), a fim de limitar o número de pessoas no local

Subcom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.