Roberto Henriques participa de reunião com Conselho Empresarial Permanente de Desenvolvimento

Na noite desta quarta-feira (28), o candidato Roberto Henriques foi convidado pelo Conselho Empresarial Permanente de Desenvolvimento (CECAM) para apresentar seu plano de governo e discutir coletivamente os rumos para a retomada do desenvolvimento e do crescimento econômico no município. Durante o encontro, Roberto Henriques apresentou o seu ‘Plano de Contra a Evasão de Capital’ aos empreendedores e membros das entidades componentes do conselho.

O CECAM é formado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos (CDL), Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic), Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejo), Fundação de Desenvolvimento do Norte do Estado (Fundenor), Sindicato Rural de Campos, Associação de Comerciantes e Amigos da Rua João Pessoa (Carjopa) e Associação Norte Fluminense do Comércio Farmacêutico (Anflucof).

Durante o encontro, Roberto Henriques explicou aos presentes que o plano prevê inicialmente a revisão total dos grandes contratos firmados com a Prefeitura de Campos em diversas áreas para direciona-los aos consórcios de entidades de cada distrito e bairro do município visando fomentar a economia local, para que os recursos provindos dos serviços realizados na cidade permaneçam na cidade.

– A Prefeitura precisa ser a indutora e parceira neste processo de busca de investimentos e de geração de receita, é preciso rever isso. Por exemplo, o serviço de limpeza urbana possui um contrato substancioso e é uma empresa de fora. Existem serviços de varrição e jardinagem que um consórcio de entidades poderia se conveniar a prefeitura e esse dinheiro permanecer em Campos, circular dentro da cidade, principalmente, no comércio local, para gerar oportunidades em territórios diferenciados para a nossa população mais carente. As merendas escolares estavam sendo fornecidas por uma empresa de São Paulo cozinhando aqui em Campos. Então, eu vou rever esses contratos e firmar novos contratos, dentro da realidade, com esses consórcios de entidades por território, para que esse dinheiro fique em nossa cidade, com nossos trabalhadores. Quando não existe fuga de capital, esse dinheiro se torna oportunidade até para a captação de recursos pela prefeitura, é uma questão de visão e experiência – afirmou.

Fonte: Ascom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *