Réveillon: Rio decide ‘fechar’ Copacabana e só moradores terão acesso

O prefeito em exercício do Rio vereador, Jorge Felippe (DEM), decidiu “fechar” o bairro de Copacabana, na Zona Sul do Rio, no réveillon, somente para moradores como uma forma de evitar aglomerações.

A decisão foi tomada após uma reunião de Felippe com o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC), no Palácio Guanabara. Castro fez a proposta de fechamento do bairro.

A informação foi confirmada em entrevista ao G1 nesta quarta-feira (23).

Ainda segundo Jorge Felippe, ele estuda impedir a entrada de ônibus de excursão na cidade.

O prefeito em exercício disse que vai analisar a viabilidade da decisão e vai entrar em contato com a Polícia Rodoviária Federal para encontrar uma saída.

Pela manhã, o blog do Edimilson Ávila já tinha informado que o assunto tinha sido colocado em pauta mas ainda não havia decisão.

A medida sobre os ônibus também tem o objetivo de evitar o acúmulo de pessoas em regiões onde tradicionalmente havia festa de Ano Novo.

Jorge Felippe também quer evitar o trabalho de ambulantes nesses locais, como a orla, para que não haja aglomerações.

A proposta de Cláudio Castro passa também por uma articulação com o MetrôRio para encontrar uma solução para reduzir público.

Festas em quiosques
As festas públicas em Copacabana já tinham sido canceladas pelo prefeito Marcelo Crivella. As festas em quiosques também estão canceladas.

Os estabelecimentos, entretanto, estão autorizados a funcionar como vêm operando desde a reabertura, em julho, “com quantidade reduzida de mesas, distanciamento de 1,5 m entre elas, e seguindo todos os protocolos de segurança e higiene”, segundo a concessionária Orla Rio.

Prefeito até 31 de dezembro
Jorge Felippe é presidente da Câmara dos Vereadores e assumiu a prefeitura após a prisão e afastamento de Marcelo Crivella (Republicanos). Fernando Mac Dowell, que era o vice de Crivella, morreu em 2018.

R$ 66 milhões para combate ao coronavírus
Ao fim da reunião no Palácio Guanabará, prefeito e governador interinos decidiram que ainda nesta quarta-feira a Prefeitura receberia um repasse de R$ 66 milhões para ações de combate ao coronavírus.

G1*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *