Professora é afastada de creche em Campos por abuso psicológico contra criança de 2 anos - Tribuna NF

Professora é afastada de creche em Campos por abuso psicológico contra criança de 2 anos

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

A Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia afastou uma professora efetiva de sala de aula para apurar denúncias de que ela estaria promovendo abuso psicológico em uma criança de 2 anos numa creche municipal. A Secretaria determinou a abertura de um processo administrativo para acompanhar os fatos e tomar as providências cabíveis, inclusive com a possibilidade de exoneração da funcionária do serviço público, caso a denúncia fique comprovada.

A Secretaria convocou a direção escolar, a professora em questão e a auxiliar de turma para reunião nesta sexta-feira (31), junto à Diretoria de Gestão de Pessoas, Departamento Jurídico e Coordenação Multiprofissional.

“Não compactuamos com nenhum tipo de violência, seja ela física ou psicológica, e jamais vamos aceitar que ela ocorra em nenhum espaço, principalmente no ambiente escolar, que deve ser local de acolhimento, amor, empatia e apoio, ainda mais para uma criança que está iniciando sua trajetória escolar. A criança precisa amar estar na escola, a fim de favorecer seu desenvolvimento integral. A Prefeitura está oferecendo condições para que a escola seja um centro de formação intelectual, de desenvolvimento e aprendizagem, um espaço constituído por segurança e proteção, um local de socialização de conhecimentos e de formação intelectual, moral e ética do aluno. Casos de violência psicológica não podem ser menosprezados, muito menos encarados como brincadeira, pois além de criar uma atmosfera de medo e vulnerabilidade, dificultando o avanço do processo de aprendizagem, podem deixar traumas e se transformar, no futuro, em bullying, agressão verbal, agressão física e vandalismo. Como tenho dito, a educação tem que iluminar vidas. Nao vamos tolerar o contrário disso”, afirmou o secretário de Educação, Marcelo Feres.

Ele destacou que a Seduct vai implementar, este ano, um projeto previsto no Programa de Aprendizagem Eficiente (PAE), de acompanhamento familiar, com visitas da equipe multidisciplinar à residência dos alunos, estreitando ainda mais a relação família X escola.

Além disso, implantou em 2021 o Programa Família na Escola, voltado aos profissionais de educação e famílias de crianças matriculadas na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, anos iniciais. O programa visa promover a parceria entre a família e a escola, por meio de ações conjuntas de formação das habilidades parentais, de incentivo ao acompanhamento das atividades escolares dos filhos e de garantia dos direitos da criança, com foco no fortalecimento dos vínculos familiares e no desenvolvimento integral da criança.

Graças ao sucesso do trabalho desenvolvido, Campos recebeu o Selo Município Amigo da Família – Edição 2022 – do então Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

“Campos está muito atenta à relação dos alunos com os professores e com a relação família X escola. Em função da complexidade do processo educacional em todo o país, os educadores precisam buscar apoio emocional e, na Secretaria de Educação de Campos, por exemplo, temos o projeto “Workshop de saúde mental dos profissionais da Educação – promovendo saúde integral”, desenvolvido pelo Programa Saúde na Escola (PSE).

A Prefeitura também desenvolve o Método PIE – Performance de Inteligência Emocional em Gestão Educacional, que, no ano passado, beneficiou dezenas de profissionais da rede municipal de ensino. Trata-se de um programa voltado ao atendimento psicossocial de gestores, desenvolvido pela equipe do Programa TreinaRH da Secretaria de Administração e Recursos Humanos, em parceria com o Programa de Atenção à Saúde do Trabalhador (PAST) e a Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct).

“Além da Prefeitura estar descongelando o Plano de Cargos e Salários, a Seduct continua sensível às demandas dos educadores e está dialogando com os servidores, tenho ido pessoalmente até as escolas para ouvir as necessidades e demandas dos professores e diretores, a fim de saber como a Secretaria pode contribuir ainda para ajudar a eliminar as barreiras do fazer pedagógico e ajudar a preservar a saúde mental dos profissionais”, finalizou Marcelo.

Fonte: Secom

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *