14/06/2024
Política

Prefeito Wladimir marca reunião na Alerj e restauração do Arquivo Público avança

O Prefeito Wladimir Garotinho se reuniu nesta terça-feira (29), na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) com o diretor administrativo da Casa, Wagner Victer, para debater caminhos para o início das obras de restauro do Arquivo Público Municipal. A audiência foi solicitada pelo Prefeito Wladimir Garotinho e contou com a participação do reitor da Uenf, Raul Palacio. No encontro ficou acordado que a Uenf vai fazer, em 30 dias, a licitação do projeto executivo com previsão orçamentária e o processo imediato de contratação da digitalização do acervo histórico do Arquivo Público Municipal.

Os recursos para o projeto – R$ 20 milhões – foram articulados pelo Prefeito Wladimir com o deputado estadual e presidente da Alerj, André Ceciliano, e foram liberados há 11 meses para a Uenf, instituição escolhida para realizar as obras, sem que elas tenham sido iniciadas até agora pela instituição.

O Prefeito Wladimir Garotinho destacou a preocupação com o fato dos recursos estarem disponíveis há mais de 11 meses e as obras não terem ocorrido ainda: “Eu tenho uma angústia, toda vez que chove, como tem chovido intensamente nesses dias, o que vai voltar a ocorrer. Nossos documentos históricos, nossas memórias, estão se perdendo na chuva. Temos recursos disponíveis e vamos perder a nossa história. O que estou tentando há algum tempo é que, se a Uenf não tem conforto para contratar projeto por inexigibilidade, que faça a licitação. Não importa para o município quem vai ganhar a licitação, mas que a obra inicie”, afirmou.

Wagner Victer sugeriu a licitação do projeto executivo, para realização do processo de restauro, uma solução para contornar o impasse gerado pelo reitor do Uenf, Raul Palacio, que alegava ser necessário que a prefeitura contratasse, pagasse e apresentasse o projeto. O diretor Wagner Victer sugeriu ações mitigadoras de impacto até à realização do processo de licitação.

Os procuradores do município afirmaram que todas as informações e descritivo técnico necessários para realizar a licitação do projeto básico foram apresentados, em início de julho de 2022.

A presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), Auxiliadora Freitas, disse que há preciosidades dentro do Arquivo e que entende a sua preservação como importante, “não apenas para o município, mas para o Estado e o país”, destacando que os recursos aprovados pela Alerj, por intermediação do Prefeito Wladimir Garotinho, preveem etapas importantes, como a recuperação emergencial do telhado, o restauro do Arquivo e a digitalização do acervo.

O deputado estadual Bruno Dauaire observou que não há cobranças ou diferenças de natureza pessoal com a reitoria ou com a Uenf, mas aos seus gestores. “Cobrei em plenário para dar andamento ao processo, porque os riscos não são apenas para o prédio ou seu acervo, mas para as pessoas que trabalham lá. Quando escolhemos a Uenf, escolhemos por sua capacidade técnica e o seu conhecimento da região, mas se ela tinha dificuldades para realizar o processo, poderíamos escolher outra instituição”, disse.

O deputado estadual Waldeck Carneiro afirmou a que a reunião foi importante para avançar, tanto no processo de abertura da licitação das obras, como no início imediato da contratação da digitalização do acervo: “Quero registrar que entendo a preocupação do Prefeito Wladimir Garotinho com a integridade do Arquivo e que sempre manteve a sua postura como deputado e prefeito na defesa da Uenf”.

Foi sugerido o início imediato da digitalização do acervo, em posição reforçada pela diretora do Arquivo, Rafaela Machado, corroborada pelo Prefeito Wladimir.

Participaram do encontro os deputados estaduais Bruno Dauaire e Waldeck Carneiro; a presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Auxiliadora Freitas; o secretário de Comunicação, Sérgio Cunha; a diretora do Arquivo Público Municipal, Rafaela Machado, e a historiadora do órgão, Larissa Manhães; os procuradores municipais, Luiz Francisco Boechat Júnior e Rodrigo Gentil; e o historiador, Edmundo Siqueira.

Secom*

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *