Prefeito Wladimir Garotinho anuncia inauguração do Ceam em setembro

Atendendo a uma solicitação antiga de grupos de proteção à mulher, o prefeito Wladimir Garotinho anunciou nesta quinta-feira (26) que vai inaugurar no dia 22 de setembro o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), mais um importante equipamento que vai contribuir para tirar as mulheres do ciclo da violência. Só este ano, Campos também ganhou uma Subsecretaria Municipal de Políticas para Mulheres. O anúncio da inauguração acontece na Semana de Combate ao Feminicídio, realizado pela subsecretaria, dentro da programação do Agosto Lilás. A instalação do Ceam em Campos está sendo realizada através de parceria entre a Prefeitura de Campos e o Governo do Estado.

– Campos nunca teve um Ceam. Esse vai ser o primeiro e o mais próximo daqui é em Quissamã. No Ceam, as mulheres receberão todo atendimento social, psicológico e jurídico para mulheres vítimas de violência doméstica, além de fazer a interface com outros programas e autoridades. É uma pena termos que inaugurar espaços como este porque é sinal de que a violência contra a mulher ainda continua muito ativa. A gente lamenta, mas estamos fazendo a nossa parte – afirma o prefeito, que recebeu recentemente denúncia de violência contra a mulher nas redes Sociais.

Campos possui uma rede de proteção à mulher que inclui a Casa Benta Pereira, acolhimento institucional e sigiloso para mulheres em situação de violência; o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), inaugurada em 2014 e a Patrulha Maria da Penha do 8º BPM. O Ceam vai funcionar na Rua dos Goitacazes, nº 257. Centro. O local foi escolhido porque já abriu há anos o Núcleo Integrado de Assistência à Mulher (Niam), que era a porta de entrada para denúncias de violência contra a mulher, quando ainda não existiam outros equipamentos.

Segundo a subsecretária de Políticas para Mulheres, Josiane Viana, o Ceam é mais uma importante conquista para as mulheres e um equipamento fundamental no enfrentamento à violência doméstica porque também oferece suporte jurídico para essas mulheres que chegam tão fragilizadas. “Temos uma rede de proteção, que está sendo cada vez mais fortalecida no município. Estamos realizando um trabalho sério. Violência contra a mulher não tem desculpas”, afirma a subsecretária, Josiane Viana.

– O número de casos de violência contra as mulheres vem crescendo e o feminicídio faz parte de uma triste realidade. São estatísticas que, infelizmente, crescem no país e que também assustam no nosso município e na região. De 2016 para cá, foram 30 casos de feminicídio no município -, frisa Josiane, reforçando a necessidade de lutar para mudar esta realidade de violência contra a mulher e retirar as mulheres do ciclo de violência.

Veja aqui todos os canais da rede de proteção à mulher.

Ascom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *