Porto do Açu comemora marco de 1 milhão de filhotes de tartarugas liberados ao mar

O Porto do Açu comemorou, nesta quarta-feira (10), a liberação ao mar de 1 milhão de filhotes de tartarugas marinhas. A soltura, fechada ao público devido à pandemia, aconteceu na Reserva Caruara, unidade de conservação mantida pelo Açu e que protege 4 mil hectares de restinga. Criada e mantida de maneira voluntária, a reserva é a maior unidade privada em extensão no estado do Rio e a maior do país dedicada à preservação de restingas, um dos ecossistemas mais fragmentados e ameaçados do país.

A região é área prioritária de desova da espécie Caretta caretta, conhecida como cabeçuda, ameaçada de extinção. O ato simbólico contou com a presença de representantes das empresas Porto do Açu Operações, Açu Petróleo e Ferroport, subsidiárias do Grupo Prumo que desenvolvem em conjunto o Programa de Monitoramento de Tartarugas Marinhas do Porto do Açu (PMTM).

O PMTM tem a missão de identificar, proteger e monitorar os ninhos de tartarugas ao longo de 62 quilômetros do litoral Norte Fluminense – do pontal de Atafona, em São João da Barra, até a Barra do Furado, em Campos -, desde a desova até a liberação dos filhotes ao mar.

Equipes do programa também realizam um trabalho educativo ao longo de todo o ano, com o envolvimento de escolas, banhistas e pescadores, buscando conscientizar a população sobre a importância da preservação da espécie. O programa já realizou mais de cem ações de soltura abertas ao público. Graças à parceria com a comunidade, mais de 14 mil ninhos de tartarugas já foram identificados e protegidos.

“Estamos muito orgulhosos do marco que atingimos em 12 anos de programa e fazemos questão de compartilhar este resultado com a comunidade, que está cada vez mais próxima do nosso compromisso com a preservação das tartarugas que escolhem a região para desovar. Esta conquista reforça nossa posição de conciliar o desenvolvimento dos nossos negócios com a conservação da biodiversidade”, afirmou Vinícius Patel, diretor de administração Portuária do Porto do Açu.

O secretário Estadual do Ambiente e Sustentabilidade, Thiago Pampolha, acompanhou a soltura comemorativa e ressaltou a importância do trabalho de conservação realizado pelo Porto do Açu: “O Rio de Janeiro tem no Açu sua maior reserva privada de conservação de restinga, fruto do programa de incentivo e apoio às RPPNs (Reservas Particulares do Patrimônio Ambiental), do Inea. Além disso, protege também 7 km de praia, que são o porto seguro das tartarugas marinhas. Em visita ao empreendimento, consegui encontrar uma estrutura voltada para o desenvolvimento industrial, com foco em sustentabilidade. Que esta iniciativa sirva de inspiração para outros negócios em potencial no nosso Estado”, disse Pampolha.

O trabalho atende a diretrizes técnicas do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (Centro Tamar/ICMBio) e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Ascom*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *