Policial espancado em Saquarema morre em hospital de Araruama

O policial Renato Mendonça, que estava internado em estado grave deste o sábado (19) após ser espancado por cinco pessoas em um bar no bairro Boqueirão, em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio, morreu nesta quarta-feira (23) em um hospital de Araruama.

A morte foi confirmada pela direção do Hospital Estadual Roberto Chabo (HERC) na manhã desta quinta-feira (24).

O Cabo Renato Mendonça tinha 34 anos, era lotado no 25º batalhão, que atende a Região do Lagos, e estava de férias quando foi brutalmente agredido. Ele ingressou na Polícia Militar em 2014. Renato deixa dois filhos e esposa, que está grávida.

Renato é o segundo policial militar morto na cidade neste mês. No início de junho, o Cabo Ireno Duarte foi assassinado a tiros dentro da garagem de casa durante um culto religioso. Dois homens foram presos em flagrante.

O 25º BPM lamentou a morte do Cabo Renato Mendonça e disse, por meio de nota, que está prestando apoio à família. Ainda não há informações sobre o horário e local do sepultamento.

No mesmo dia do crime, a polícia conseguiu prender quatro pessoas suspeitas de envolvimento no ataque. Entre os presos estavam três homens e uma mulher. O quinto suspeito de participar da agressão já foi identificado e a polícia pediu a prisão dele à Justiça. Ele ainda não foi localizado.

Segundo a Polícia Civil, os agressores atacaram Renato pelo fato dele ser policial.

Uma sexta pessoa, um homem que seria tio de um dos envolvidos, também foi preso por porte ilegal de arma de fogo. Na casa dele, a polícia encontrou armas e uma delas teria sido usada no crime. Ainda segundo a polícia, este homem não teria envolvimento direto com a agressão.

De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos chegaram no bar e atiraram contra o policial, mas os tiros não o acertaram. Renato então sacou uma arma para tentar se defender e conseguiu atingir dois criminosos. Um deles foi atingido na perna e o outro no braço.

Os agressores conseguiram render Renato e o agrediram com socos, chutes e pancadas na cabeça. Os ferimentos na cabeça foram graves e o policial ficou internado em uma UTI desde então, mas não resistiu aos ferimentos.

O caso é investigado pela 124ª DP, em Saquarema.

G1*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *