Polícia prende mulher e cunhado de ex-PM suspeito de matar Marielle e Anderson

Elaine Lessa, mulher de Ronnie; Bruno Figueiredo, irmão de Elaine; Márcio Montavano, o Márcio Gordo; e Josinaldo Freitas, o Djaca — Foto: Reprodução/TV Globo

Uma operação da Polícia Civil e do Ministério Público do RJ prendeu nesta quinta-feira (3) quatro pessoas em mais uma etapa das investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Entre os presos da Operação Submersus está Elaine Lessa, mulher do PM reformado Ronnie Lessa, preso desde março, acusado pela execução. Ronnie também é alvo de mais um mandado de prisão.

A força-tarefa busca esclarecer o descarte da arma usada no atentado. A suspeita é que o material foi jogado no mar da Barra da Tijuca.

Alvos da Operação Submersus

  1. Ronnie Lessa, preso na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte;
  2. Elaine Lessa, mulher de Ronnie, que também é dona do apartamento onde as armas estavam;
  3. Márcio Montavano, o Márcio Gordo, teria tirado as caxias de armas de dentro do apartamento de Ronnie e Elaine Lessa;
  4. Bruno Figueiredo, irmão de Elaine, suspeito de ajudar Márcio na execução do plano;
  5. Josinaldo Freitas, o Djaca, teria contratado taxista para levar as armas até o Quebra-Mar, na Barra.

O advogado de Ronnie Lessa e Elaine Lessa, Fernando Santana, afirmou que “está surpreso” com o fato de Elaine ter sido presa.

“Ela era testemunha, veio aqui uma única vez. Agora houve essa prisão”, disse o advogado.

Pescador relatou descarte

A polícia afirma que o descarte do armamento aconteceu dias depois da prisão de Ronnie, em 12 de março, e teria contado com a participação de quatro pessoas, entre elas a mulher e o cunhado do PM reformado.

Em depoimento à Delegacia de Homicídios (DH) da Capital, um pescador contou que um comparsa de Ronnie Lessa contratou seu barco e jogou seis armas no mar perto das Ilhas Tijucas.

Para a polícia, o contratante do barco é Márcio Gordo, e entre as armas estava a submetralhadora HK MP5 usada para matar Marielle e Anderson.

Segundo as investigações, Márcio Gordo teria retirado as armas de dois endereços ligados ao acusado de matar Marielle, alugado o barco e o serviço do dono, o pescador, e jogado tudo no mar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *