19/06/2024
Polícia

Polícia Federal cumpre mandado de condução coercitiva contra “trader” em condomínio de luxo em Campos

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta terça-feira (3), um mandado de condução coercitiva, de um “trader”, que mora no condomínio Royal Boulevard, um condomínio de Luxo, que fica no Parque Rodoviário, em Campos dos Goytacazes. O conduzido é testemunha no caso do escândalo das pirâmides financeiras, que está sendo investigado pela Câmara Federal. A Polícia Federal confirmou a condução, mas não revelou o nome da testemunha.

O delegado titular da Polícia Federal em Campos, Wesley Amato, explicou o caso: “´Nós cumprimos esta manhã um mandado de condução coercitiva, determinado pela CPI das Pirâmides financeiras, da Câmara dos Deputados. Essa pessoa havia sido convocada anteriormente e não havia comparecido e hoje foi determinada a condução dela. A priore não há acusação nenhuma sobre essa pessoa, ela será ouvida como testemunha, não teria envolvimento com os fatos criminosos, porém as informações que ela sdetém são de interesse da CPI”, explicou o delegado, informando que o depoimento da testemunha em Brasília está marcado para as 14h30 desta terça.

CPI das Pirâmides

No final do mês de setembro, foi aprovado na CPI das Pirâmides Financeiras um requerimento do Deputado Federal Caio Viana para quebra de sigilo bancário da empresa Grow Up.

Durante a CPI Caio destacou que a empresa é sediada em Campos e já lesou milhares de pessoas. ”Deixaram um dano de R$55 milhões de reais. Tentamos convocar o gestor da empresa como condição de testemunha para que pudesse prestar esclarecimento, mas o mesmo não compareceu na CPI. Logo, se faz necessário a quebra de sigilo para que se possa esclarecer a situação”, afirmou.

A empresa Grow Up captava dinheiro de investidores com a promessa de entregar rendimentos acima do normal com o suposto trade de criptomoedas é acusada por um grupo de cerca de 300 clientes de ter aplicado um golpe ao deixar de pagar os rendimentos prometidos aos investidores desde janeiro deste ano.

A empresa acusada de calote foi criada por Gleidson da Costa Gonçalves em 2019 e mirava investidores de Campos dos Goytacazes (RJ), ao norte de Cabo Frio. A cidade possuía grande movimentação de empresas de pirâmides financeiras que proliferaram na área, sendo a GAS Consultoria, do “Faraó do Bitcoin”, uma das mais conhecidas no país.

Fonte: J3News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *