PF prende 2 no RJ em operação contra irregularidades em contratos da UFRJ

A Polícia Federal (PF) do RJ prendeu nesta quinta-feira (8) duas pessoas na segunda fase da Operação Pronta Emergência, que investiga supostas irregularidades em contratos do Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ipub/UFRJ).

Os procurados, ambos empresários, foram presos na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, e em São Francisco, em Niterói. Três servidores da UFRJ foram afastados.

Os alvos ainda não haviam sido identificados até a última atualização desta reportagem.

Segundo a PF, esses servidores, em troca do recebimento de vantagens indevidas, se associaram criminalmente a empresários, a fim de direcionar diversas licitações.

A PF cita como irregularidades na montagem dos processos de licitação:

  • cotações fictícias, superfaturadas e com empresas integrantes da organização criminosa;
  • elaboração de estudo técnico preliminar pelas próprias empresas, sendo posteriormente preenchidos no Ipub;
  • direcionamento da contratação mediante pagamento de vantagens indevidas aos servidores.

Os agentes da Delegacia de Combate ao Crime Organizado (Delecor/PF) também cumpriram nove mandados de busca e apreensão.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Federal Criminal do Rio. Os investigados respondem pela prática dos delitos de organização criminosa, peculato e fraudes em licitação.

A Operação Pronta Emergência 1

A primeira etapa da operação, em fevereiro deste ano, cumpriu 10 mandados de busca. Não houve prisões.

Na ocasião, a PF afirmou que pelo menos R$ 6 milhões foram gastos em contratações diretas emergenciais supostamente direcionadas, por dispensa de licitação, celebradas pelo Instituto de Psiquiatria.

A investigação avançou e descobriu que a quadrilha também se envolveu em licitações do Ipub.

A própria UFRJ apontou a suspeita de direcionamento em uma auditoria, segundo a PF.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *