PF mira organização criminosa integrada por agentes públicos no Rio - Tribuna NF

PF mira organização criminosa integrada por agentes públicos no Rio

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

Na manhã desta quarta-feira (17/8), a Polícia Federal, em ação conjunta com a Receita Federal do Brasil e o Ministério Público Federal, deflagrou a operação ÁRTEMIS, visando desarticular organização criminosa composta por agentes públicos, empresários e relacionados, que tinha por finalidade a prática de crimes atinentes ao comércio exterior, corrupção, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

A investigação teve início em 2020, a partir da comunicação feita pela Receita Federal à PF, após ações corretivas coordenadas pela Receita no Porto de Itaguaí/RJ, quando foram detectadas condutas suspeitas de servidores e agentes externos. Com o aprofundamento das investigações, descobriu-se a participação de várias outras pessoas em conluio no contrabando, facilitação de contrabando, tráfico de drogas e lavagem de capitais.

A Polícia Federal, nas investigações de repressão aos referidos crimes, possui como diretriz a descapitalização e a prisão dos envolvidos, expropriando-as de todo o patrimônio, bens e valores acumulados a partir das suas atividades ilícitas, como forma de inviabilizá-las financeiramente, evitando qualquer tentativa de sua reestruturação após a deflagração das operações.

Nesse sentido, na ação de hoje, os policiais, com apoio de servidores da Receita e do MPF, cumprem dois mandados de prisão preventiva e 31 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 2ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, em residências, empresas e escritórios vinculados à organização criminosa. Além das prisões e buscas realizadas, foram sequestrados bens e valores que ultrapassam o montante de R$ 30 milhões.

As ações ocorrem nos municípios do Rio de Janeiro e Itaguaí, no estado do Rio de Janeiro; Santos e São Vicente, no Estado de São Paulo; Belo Horizonte, no Estado de Minas Gerais; Vitória, no Estado do Espirito Santo; e Maceió no Estado de Alagoas.

Em razão da convergência dos investigados, a operação Ártemis se desenvolve, simultaneamente, com a operação Efeito Cascada, deflagrada pela PF em São Paulo, e ambas contaram com a participação de mais de 150 (cento e cinquenta) policiais federais por todo o país.

Fonte: Ascom Polícia Federal

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *