O que será que será?

Assistindo as ultimas sessões do poder legislativo campista, podemos deduzir que um grupo de edis iniciou uma caçada ao poder executivo. Muitas decisões eivadas de vícios que poderão ser revistas pelo poder judiciário.

Perde-se a razão quando não se respeita a posição dos contrários. Em alguns casos a forma agressiva no trato com o direito público ocorre por manifesta ignorância. Esse mesmo grupo vem tratando a administração desde a prefeita Rosinha de forma desrespeitosa. Agora partiram para a atual administração a ponto de rejeitar uma peça orçamentária.

Ainda que o grupo entenda que deve fazer oposição esta deve ser feita de forma política e não contra a cidade. Boa parte dos problemas enfrentados pela atual administração é pela falta de recursos orçamentários. Qualquer que fosse o prefeito de plantão o problema não deixaria de existir.

Deixar para criar um ambiente ainda de maior incerteza no último ano de governo rejeitando o orçamento de forma viciada como no dia de hoje retira a legitimidade de um poder que foi eleito e empossado sob juramento, não podendo criar o ambiente “do que será que será “.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *