‘Não houve ataque [hacker] bem-sucedido no dia de hoje’, diz Barroso sobre suposto vazamento de informações do TSE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, afirmou que o tribunal não sofreu um “ataque [hacker] bem sucedido” neste domingo (15), primeiro turno das eleições de 2020. Circulam nas redes sociais mensagens e posts de blog afirmando que o tribunal foi vítima de vazamento de informações no dia da eleição, com a divulgação de bases de dados de funcionários públicos.

“Há informação na imprensa de que teria havido um ataque com vazamento de informações sobre os servidores. Nada ocorreu hoje, nem tampouco nos últimos dias relativamente a ataques”, afirmou Barroso em uma coletiva de imprensa na tarde deste domingo.

“Nós estamos ainda apurando essa informação, mas não houve ataque bem-sucedido no dia de hoje, e nós temos muitas razões para supor que essas informações vazadas se refiram a ataques antigos. Não saberia ainda precisar de quando, mas certamente posteriores aos momento em que o Tribunal Superior Eleitoral reforçou com a proximidade das eleições seus sistemas de defesa”, disse o ministro.

O ministro ainda afirmou que “eventuais ataques cibernéticos não tem o condão de afetar o processo de votação porque as urnas não funcionam em rede e, portanto, não há esse risco”.

“O vazamento de informações que se está divulgando, nós ainda estamos apurando para confirmá-lo, mas podemos assegurar que não se refere a ataque no dia de hoje e, muito possivelmente, é algo antigo. O quão antigo, nós não temos certeza, apesar de terem sido detectados alguns emails [de funcionários] que ainda era o final ‘.gov’, que é uma alteração que foi feita há muito tempo. A extensão do Tribunal Superior Eleitoral é ‘.jus.br’”, diz Barroso.

Além disso, segundo o presidente do TSE, o tribunal sofreu uma tentativa de ataque cibernético neste domingo, mas ele foi “neutralizado”.

“Houve uma tentativa de ataque hoje com grande volume de tentativas de acessos simultâneos. Foi totalmente neutralizado pelo TSE e pelas operadoras de telefonia e, portanto, também sem qualquer repercussão sobre o processo de votação”, diz Barroso.

G1*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *