'Não adianta mais chorar, nós perdemos o jogo', diz Mourão sobre eleições - Tribuna NF

‘Não adianta mais chorar, nós perdemos o jogo’, diz Mourão sobre eleições

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

O vice-presidente da República e senador eleito, Hamilton Mourão (Republicanos-RS), aceitou publicamente o resultado das eleições presidenciais ocorridas neste domingo (30/10). “Não adianta mais chorar, nós perdemos o jogo”, afirmou, em entrevista concedida ao jornal O Globo, publicada na edição desta quarta-feira (2/11).

“Nós concordamos em participar de um jogo em que o outro jogador não deveria estar jogando”, disse ele, em referência ao presidente eleito, Lula (PT). “Mas se a gente concordou, não há mais do que reclamar”.

Mourão disse não considerar que houve fraude na eleição. “Mas um jogador não deveria estar jogando. Essa é minha visão”, completou. Ele se refere ao fato de que Lula se tornou elegível no último ano, após o Supremo Tribunal Federal anular suas condenação criminais.

As declarações do atual vice-presidente são mais diretas que as do presidente Jair Bolsonaro (PL), que não chegou a cumprimentar Lula ou reconhecer explicitamente a vitória do petista. Em seu primeiro pronunciamento desde a derrota nas urnas, nesta terça-feira (1/11), o atual chefe do Executivo disse apenas que continuaria “cumprindo todos os mandamentos da nossa Constituição”.

Protestos nas estradas

Bolsonaro, nesta terça (1º/11), não condenou enfaticamente os bloqueios de rodovias, promovidos por caminhoneiros e demais apoiadores dele indignados com o resultado das eleições. O presidente disse que os movimentos “são fruto de indignação e sentimento de injustiça de como se deu o processo eleitoral” e pediu apenas que não houvesse “invasão de propriedade, destruição de patrimônio e cerceamento do direito de ir e vir”.

Já Mourão afirmou que é necessário “baixar a bola”. Para ele, as pessoas estão inconformadas, “mas aceitaram participar do jogo”.

De acordo com o vice-presidente, as manifestações deveriam ter ocorrido “quando o jogador que não deveria jogar foi (autorizado a jogar). Ali deveriam ter ido para a rua, buzina. Mas não fizeram”.

Relação com o presidente

Questionado sobre a demora de Bolsonaro em se manifestar publicamente, Mourão se limitou a dizer que “cada um reage aos acontecimentos da sua maneira”. Segundo ele, o presidente “procurou a melhor forma de falar tudo o que queria falar sem incorrer em ofensas, ilegalidades”.

O vice-presidente ainda ressaltou suas diferenças com o chefe do Executivo: “Ele é um sujeito mais incisivo, mais verborrágico, e eu não sou. Minha forma de fazer as coisas é outra”, salientou.

O senador eleito lembrou do histórico de Bolsonaro na Câmara, onde “se você não se destaca pela peleia, é engolido”. Para ele, o atual presidente continua exercendo o papel de “meter o dedo nos outros”, diferentemente do próprio Mourão. “No atacado nós temos o mesmo pensamento, mas a forma de fazer as coisas é outra”.

No entanto, Mourão ainda destacou que nunca brigou publicamente com Bolsonaro, apesar de receber reclamações: “Eu tenho noção”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *