MPRJ obtém condenação a 51 anos de prisão para integrante de torcida organizada do Fluminense que matou torcedor do Vasco

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 1ª Promotoria de Justiça junto à 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu, obteve no Tribunal do Júri a condenação de Francisco Felipe do Nascimento Rocha, vulgo He-Man, por espancar até a morte o torcedor de um clube rival ao seu, em 2015. He-man é integrante de uma torcida organizada do Fluminense e foi sentenciado a 51 anos de prisão por matar a pauladas Felipe Souza Moreira, de 24 anos, torcedor do Vasco, na estação de trem de Mesquita, horas antes do jogo entre os dois times. Outros dois torcedores do Vasco ficaram feridos na ocasião.

O Tribunal do Júri condenou He-man por homicídio duplamente qualificado e tentativa de homicídio qualificada. Durante o Júri, a promotoria narrou a dinâmica dos acontecimentos naquela tarde, relatando que as vítimas aguardavam o trem para ir ao jogo quando foram surpreendidas e encurraladas por diversos torcedores de uma torcida organizada do Fluminense.

Ainda segundo demonstraram o MPRJ e as testemunhas presentes, He-man exercia liderança nessa torcida e estava armado com um pedaço de pau, desferindo diversos golpes contra as vítimas. O promotor de Justiça Sandro Fernandes Machado, responsável pela acusação no Juri, ressalta que a dura condenação obtida deve servir de exemplo para banir a violência praticada por grupos de marginais que acaba afastando dos estádios os verdadeiros torcedores.

Na sentença, o Juízo da 4ª Vara Criminal de Nova Iguaçu sublinhou que os depoimentos e outras provas indicam “ser o acusado pessoa violenta, perversa, de maldade excessiva, desprovido de qualquer respeito pelo próximo ou piedade, avizinhando-se a um selvagem”.

Por MPRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *