MP denuncia ex-vice-presidente do Ceperj por corrupção passiva - Tribuna NF

MP denuncia ex-vice-presidente do Ceperj por corrupção passiva

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

O Ministério Público denunciou o ex-vice-presidente do Ceperj por corrupção passiva. Segundo as investigações, Marcello Coimbra recebeu uma Mercedes-Benz esportiva como propina por um dos contratos do programa “Esporte Presente” do governo do estado.

É a primeira denúncia do MP no caso Ceperj. Para os promotores, Marcello Coimbra Costa e o empresário Ricardo Pires de Oliveira cometeram crime de corrupção.

Em 25 de novembro do ano passado, Marcello autorizou o pagamento de R$ 15 milhões ao Instituto Fair Play – responsável por executar o projeto “Esporte Presente”. O valor foi pago em duas parcelas de R$ 7,5 milhões.

Desse dinheiro, quase R$ 5 milhões foram repassados para duas empresas: a Ricardo Pires Produção de Eventos e a Ricardo Pires de Oliveira.

As duas têm como sócio Ricardo Pires de Oliveira — que era um dos associados do Instituto Fair Play.

Ao todo, foram feitos 19 pagamentos do Instituto Fair Play para as empresas de Ricardo pelo fornecimento de materiais esportivos e pela produção de eventos ligados ao projeto.

Um desses pagamentos — de 17 de dezembro de 2021— é referente a 30 mil camisetas. Segundo o Ministério Público, trata-se do modelo t-shirt com manga curta, promocional do lançamento do projeto “Esporte Presente” dry-fit.

Seis dias depois do pagamento, o então vice-presidente do Ceperj comprou um carro no valor de R$ 162 mil.

O que chamou a atenção dos promotores é quem pagou pelo veículo. Justamente a empresa de Ricardo Pires, que tinha recebido dinheiro vindo do Ceperj.

O carro, uma Mercedes C250 Sport blindada, havia sido anunciado em uma rede social da loja.

O pagamento aconteceu por transferência bancária. A conta de origem tem como número de CNPJ o da empresa Ricardo Pires Produção de Eventos.

Para o Ministério Público, “considerando que Ricardo Pires de Oliveira é o único sócio e administrador da Ricardo Pires Produção de Eventos, evidencia-se o seu consentimento com a destinação do valor de R$ 162 mil para a compra de um veículo de luxo por Marcello Coimbra Costa”, caracterizando o pagamento de propina em favor dele.

A reportagem tentou falar com os alvos da investigação do Ministério Público. Os telefones de Marcello Coimbra estavam fora de área, desligados ou não recebiam ligações.

Já Ricardo Pires de Oliveira atendeu, mas pediu para retornar mais tarde. Depois disso, não atendeu mais.

Depois da compra, o carro foi transferido para o nome da empresa Emme Consultoria e Marketing Ltda, que tem como sócio majoritário Marcello Coimbra Costa.

O MP denunciou o ex-vice-presidente do Ceperj e o empresário por corrupção. Pediu ainda que o carro comprado com dinheiro público seja entregue ao estado. E que os denunciados paguem indenização por danos materiais e danos morais coletivos.

O que dizem os citados

O Governo do Estado informou que deu transparência aos contratos da fundação Ceperj e continua à disposição dos órgãos de controle. Disse que após relatório da Comissão de Auditoria da Casa Civil, foram extintos seis programas da fundação.

O Palácio informou ainda que todas as contratações e pagamentos do Ceperj estão suspensos desde julho, e o ex-vice-presidente do órgão, Marcello Coimbra Costa foi exonerado em agosto.

Marcello Coimbra disse que não teve acesso à denúncia e que vai prestar esclarecimentos à Justiça.

O RJ2 não conseguiu contato com o empresário Ricardo Pires de Oliveira.

G1*

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *