MP aponta superfaturamento de R$ 6 milhões na Saúde e acusa Edmar Santos de improbidade

O Ministério Público do Rio de Janeiro concluiu uma investigação que aponta superfaturamento de quase R$ 6 milhões na compra de medicamentos, produtos hospitalares e equipamentos de proteção individual no estado. A informação foi antecipada pela GloboNews nesta terça-feira (29).

O ex-secretário de Saúde Edmar Santos, dois ex-subsecretários – Gabriell Neves e Gustavo Borges – e cinco empresas estão sendo acusados de improbidade administrativa.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio disse que os contratos firmados no período da pandemia estão sendo auditados e revisados pela pasta e que suspendeu pagamentos para evitar danos e muitos dos contratos foram cancelados.

A produção da GloboNews entrou em contato com os citados na reportagem mas ainda não teve resposta.

A equipe de reportagem não conseguiu contato com a defesa do ex-subsecretário Gustavos Borges.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *