14/06/2024
Política

Ministros do STF discursam em defesa da liberdade de imprensa

Ministro Luiz Fux

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, abriu a sessão plenária do tribunal nesta quarta-feira (4) com um discurso a favor da liberdade de imprensa. O ministro fez referência ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, celebrado na terça (3).

“É de suma importância, como sempre fizemos, prestigiarmos a imprensa profissional que tem sido fundamental para a história do próprio Brasil. A imprensa livre é um dos pilares da nossa democracia”, declarou Fux ao cumprimentar os profissionais que fazem a cobertura jornalística dos trabalhos do tribunal.

A ministra Cármen Lúcia pediu a palavra e também tratou do tema, dizendo concordar com a declaração de Fux.

“Não há democracia sem imprensa livre. Acho que é algo bem simples de ser entendido. O direito à informação é previsto no inciso 33 do artigo 5º da Constituição. Não há possibilidade de, num período de tantas mentiras, mentiras dolosas, planejadas para cumprir determinados objetivos – e peço, não desculpas, mas apenas que possa acentuar, porque o que é chamado como fake news, muitas vezes não entendem. É uma mentira. Mentira dolosa, planejada, com objetivos planejados e específicos. É preciso que as coisas tenham o seu devido nome”, disse Cármen Lúcia.

“É a imprensa que consegue desfazer [fake news], esclarecer, informar, para que a gente tenha uma democracia com os padrões de qualidade humana, dignidade humana que se pretende. Por isso, faço esse realce”, prosseguiu.

Um ranking divulgado nesta terça pela entidade internacional Repórteres sem Fronteiras coloca o Brasil na posição 110, entre 180 países, na avaliação sobre a liberdade de imprensa garantida no país.

O relatório destaca o crescimento do discurso anti-imprensa em todo o mundo e cita especificamente o Brasil, com ataques cada vez mais visíveis e virulentos, que, entre outras coisas, incentivam assédio on-line e campanhas de difamação e intimidação – especialmente contra mulheres.

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *