Laje do Muriaé, Aperibé, Pádua e Miracema declaram Situação de Emergência - Tribuna NF

Laje do Muriaé, Aperibé, Pádua e Miracema declaram Situação de Emergência

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

Quatro municípios do Noroeste Fluminense declararam Situação de Emergência devidos aos estragos provocados pelas chuvas, são eles: Laje do Muriaé, Aperibé, Santo Antônio de Pádua e Miracema.

A informação é da Defesa Civil Estadual (Sedec-RJ) e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) que monitoram as precipitações em todo o estado. De acordo com os órgãos, as equipes estão atuando para prevenir e minimizar danos.

Até o começo da tarde, os rios Pomba, Muriaé e Itabapoana apresentavam pontos de transbordo. Os técnicos do estado também observam a evolução do rio Paraíba do Sul.

“A Sedec-RJ está em contato permanente com as Prefeituras, dando suporte quando as ocorrências extrapolam a capacidade de resposta da gestão municipal. Na região Noroeste, onde foram registrados alagamentos provocados pelo volume excessivo de chuvas, agentes da Defesa Civil Estadual se reuniram com autoridades locais para avaliação dos prejuízos e a adoção de medidas para garantir a volta à normalidade, o mais rápido possível”, disse o órgão.

As cidades de Cambuci e Engenheiro Paulo de Frontin instalaram gabinetes de gestão de crise. Outros municípios também são monitorados pela Sedec-RJ como Itaperuna, Italva, Cardoso Moreira e São Francisco do Itabapoana.

Ajuda humanitária

A Defesa Civil Estadual informou que vai enviar, nesta terça-feira (10), ajuda humanitária para Laje do Muriaé e Aperibé. Serão, ao todo, 480 itens doados, incluindo colchões, travesseiros e cobertores.

Previsão do tempo

A previsão para a tarde desta terça-feira (10) é de pancadas de chuva moderada a ocasionalmente forte. Os ventos estarão fracos a moderados.

O Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden-RJ) continua acompanhando as condições do tempo e os níveis pluviométricos, com envio de alertas para as regiões em caso de riscos hidrológicos e geológicos.

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *