Grupo da UENF produz sabonetes para doação

A higiene das mãos é uma das principais medidas de combate ao coronavírus. Mas como exigir isso daqueles que mal têm o que comer? Pensando nisso, um grupo de alunos da UENF, com a ajuda da professora Cibele Maria Stivanin de Almeida, vem se dedicando durante a quarentena à fabricação de sabonetes para serem doados entre moradores de rua e população carente de Campos dos Goytacazes.

A ideia partiu do aluno Filipi Chalita Guimarães, que já vinha ajudando um grupo de amigos fazendo arrecadação de alimentos para doação de cestas básicas. “Eles estavam fazendo sabão líquido e em barra para doação à comunidade. Aí ele me perguntou se eu não tinha uma receita de sabonete para que eles pudessem doar kits de higiene, junto com tudo que eles já estavam fazendo”.

Cibele não só ajudou com a receita como resolveu também abraçar a causa, com a ajuda de um grupo de alunos do Laboratório de Ciências Químicas (LCQUI), onde atua: Carlos Guilherme Tissi Batista (do Mestrado), João Vitor Pardo, Ana Flávia Loureiro Martins Nascimento (ambos da Iniciação Científica) e Mirna Lúcio (aluna da graduação do curso de Licenciatura em Química).Para tanto, eles criaram uma campanha de doação de dinheiro para a compra do material, com a qual arrecadaram cerca de R$ 400,00.

“Testei a receita que eu tinha em casa e consegui produzir 25 sabonetes gastando R$ 14,00. Então comecei a pedir às pessoas doações deste valor, em vários grupos. A adesão foi muito boa. Na UENF, com as formas que temos lá, estamos conseguindo produzir 30 sabonetes com este valor. Ou seja, R$ 14,00 ajudam a 30 pessoas”, diz Cibele.

A receita dos sabonetes, segundo a professora, é muito simples. Os ingredientes utilizados são basicamente sabão glicerinado, sabonete, álcool e bicabornato de sódio. “Não estamos criando um sabonete do zero, mas sim fazendo render mais os produtos que já encontramos no comércio”, diz.

Cibele e o grupo de alunos vêm se dedicando diariamente ao trabalho. A primeira doação, de 100 sabonetes, foi feita no último sábado à professora Lidiane Nogueira, que tem uma ação social com moradores de rua. “Com o dinheiro que arrecadamos até agora, esperamos produzir cerca de mil sabonetes no total”, diz. Até agora, já foram produzidos cerca de 600 sabonetes.

Os sabonetes estão sendo feitos no laboratório. “Como estamos em quarentena, falei com o reitor a respeito do projeto e perguntei se podíamos usar o laboratório, pois ali tínhamos um espaço mais equipado para a produção dos sabonetes. Ele prontamente disse que não haveria problema algum desde que tomássemos as medidas recomendadas, como evitar aglomeração, o que estamos fazendo”, conta.

A campanha de arrecadação vai continuar, para que mais sabonetes possam ser produzidos. Quem quiser participar pode depositar qualquer quantia nas seguintes contas: Itaú: agência 9365, conta 257634; e Bradesco: agência 1547, conta 00276685, em nome de Cibele Maria Stivanin de Almeida.

Ascom*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: