Frente fria: Baixa temperatura e chances de transmissão de doenças respiratórias

A estação mais fria do ano começa oficialmente nesta terça-feira (21) e especialistas alertam que o início do inverno é motivo de atenção para as doenças respiratórias, já que temperaturas mais baixas favorecem a disseminação dos vírus causadores de infecções como gripe, resfriado e a própria Covid-19. Confinamento e a permanência em espaços fechados e com pouca ventilação facilitam a transmissão dessas doenças, principalmente, em crianças e idosos.

Segundo o assessor técnico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Charbell Kury, este é um período em que muitas crianças e adultos ficam doentes, principalmente, gripados. Além disso, o frio aumenta a ativação de quadros alérgicos como rinites, bronquites e asma e também sinusites, pneumonias e gastroenterites.

O médico orienta aos pais quanto aos sintomas e propõe uma série de cuidados em casa, bem como um kit emergência que pode ser usado na própria residência, além de uma boa alimentação, com frutas, legumes e verduras e muita hidratação.

“Os cuidados podem começar em casa mesmo, com o uso de um nebulizador comum e um sugador nasal para retirar secreção após lavagem com soro. Lembrar que catarro verde em uma criança sem febre não é sinal de bactéria. Cerca de 70% das pneumonias são virais. Vômitos, diarreia e tosse são vírus”, informou Kury.

Em ambientes fechados, o contágio por vírus de transmissão respiratória é bem maior. “Todos devem manter o local ventilado, casa limpa e evitar tapetes, bichos de pelúcia e cortina de pano. Em casa de alérgicos, não usar vassoura para levantar poeira. Ao invés disso, preferir pano molhado com produtos alvejantes e limpar ventiladores e filtros de ar condicionado”, recomendou.

Além disso, outra via de infecção são as mãos, as quais também demandam uma atenção especial. Charbell orienta para a devida higienização com água e sabão, além do uso de álcool gel.

“A higiene das mãos é indispensável para a prevenção da transmissão de vírus respiratórios e por doenças causadas por bactérias, fungos e outros vírus”, complementa o médico ressaltando a importância de manter o cartão de vacina em dia, em especial para gripe, Covid-19, sarampo, pneumonia e meningite.

Secom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.