Fachin nega recurso de Aras e abre inquéritos da delação de Cabral

O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin rejeitou recurso de Augusto Aras para invalidar a delação premiada do ex-governador Sérgio Cabral e autorizou a abertura de inquéritos para apurar as implicações feitas pelo ex-governador do Rio.

A decisão do relator da Lava Jato é monocrática. Agora, o procurador-geral da República pode recorrer para tentar levar o caso ao plenário do Supremo ou da 2ª Turma.

A colaboração do emedebista segue em sigilo. Ao todo, são 21 anexos que atingem políticos com foro.

Ao Supremo, a PGR argumentou que o ex-governador do Rio continua escondendo o paradeiro de valores recebidos de forma ilícita ao longo do funcionamento do esquema criminoso. Segundo o chefe do MPF, a delação não pode ser confirmada pela Justiça porque “inúmeros elementos de prova” mostram que o ex-governador age para esconder o produto do crime. Isso, diz o MPF, viola a “a boa-fé objetiva”, condição necessária à elaboração de acordos de colaboração.

O Antagonista*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *