Empresa de SJB: executivo da União Norte detalha supostas propinas a Cabral e TCE-RJ

Empresa do lixo de SJB

Marcos Andrade Barbosa Silva, executivo da União Norte Fluminense Engenharia, afirmou em depoimento nesta quinta-feira (27) que foi orientado pelo ex-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Henrique Alberto Santos Ribeiro sobre um pagamento de propina de uma taxa de 5% para o Governo estadual do Rio e de mais 1% para o Tribunal de Contas do Estado.

O depoimento foi dado ao juiz Marcelo Bretas na 7ª Vara da Justiça Federal. Marcos afirmou ainda que a propina era paga muitas vezes em cheques de R$ 50 mil a 100 mil, e que esses cheques eram sacados na boca do caixa em agências bancárias.

Segundo Marcos, o ex-presidente do DER dizia procurá-lo em nome de Wilson Carlos, ex-secretário de governo de Sérgio Cabral. A propina, segundo o delator, foi paga entre os anos de 2008 e 2014, em diversas obras em rodovias estaduais.

A União Norte Fluminense fechou um acordo de leniência com o Ministério Público Federal. Marcos Andrade Barbosa, durante a audiência, declarou em juízo que prestava depoimento na condição de colaborador.

O ex-presidente e ex-conselheiro do TCE-RJ, Jonas Lopes de Carvalho Júnior, e o filho dele Jonas Lopes Neto, também prestaram depoimento, na condição de delatores.

O depoimento dado nesta quinta-feira ao juiz federal Marcelo Bretas foi referente a um dos processos da operação C’est Fini , é o fim em francês , realizada em novembro de 2017.

A ação penal apura um esquema de corrupção em obras de pavimentação e conservação de rodovias estaduais pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Rio, durante o governo de Sérgio Cabral.

Segundo as investigações, entre 2008 e 2014, a organização criminosa chefiada por Cabral recebeu R$ 17 milhões em propinas em contratos do DER-RJ com a empresa União Norte Fluminense.

Em 2017, reportagem da TV Globo revelou que José Iran, ex-secretário de obras do Rio, chegou a receber mais de R$ 1 milhão em propinas.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *