Dicas de consumo do pescado para as festas de fim de ano

Com as festas de fim de ano chegando, o consumo de pescado aumenta consideravelmente neste período e já é tradição nas festividades. De excelente valor nutricional, são ricos em diversos nutrientes: proteína, ferro, zinco, vitamina B12 e as chamadas ‘gorduras boas’, como o ômega 3, que ajudam a equilibrar o colesterol e evitam inflamações no organismo. Um alimento saboroso, nutritivo e de fácil digestão, além de possuir menos calorias e auxiliar na saúde do coração.

– O Estado do Rio produz uma média de 60 mil toneladas de pescado marinho por ano. Estamos viabilizando constantemente incentivos aos pescadores para que essa produção aumente ainda mais. Queremos incentivar o consumo de pescado não só nessa época, mas durante o ano todo – disse Marcelo Queiroz, secretário de Estado de Agricultura.

Para apoiar os pescadores no estado, a Fiperj, fundação vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, atua para promover o desenvolvimento sustentável da aquicultura e da pesca fluminense, oferecendo informações, apoio técnico e acesso às novas tecnologias.

– Na época de festas, entre Natal e o Ano Novo, o bacalhau com certeza é um dos pratos mais procurados. Outro peixe bastante consumido nesta época é o salmão. Para fornecer opções para o consumidor, indicamos algumas espécies facilmente encontradas e de excelente aceitação que podem compor a mesa dos cariocas durante as festividades – explica Fernando Tuna, analista de recursos pesqueiros da Fiperj.

Bacalhau, salmão, camarão e peixes nobres, como cherne e badejo, são as grandes estrelas do cardápio do fluminense. Mas há outros exemplos de pescado que também agradam muito o gosto popular e cabem no bolso dos consumidores: dourado, merluza, namorado, batata, pargo, entre outros.

– O consumidor pode observar algumas características na hora da compra, que sugerem que o produto esteja com ótimo frescor, ou seja, de boa qualidade e próprio para o consumo – explica André Medeiros, extensionista da Fiperj.

Algumas dicas de como reconhecer um peixe bom para consumo:

– Superfície do corpo limpa, com relativo brilho metálico e reflexos multicores próprios da espécie, sem qualquer pigmentação estranha

– Olhos claros, vivos, brilhantes, luzentes, convexos, transparentes, ocupando toda a cavidade orbitária

– Brânquias róseas ou vermelhas, úmidas e brilhantes com odor natural, próprio e suave

– Abdômen com forma normal, firme, não deixando impressão duradoura à pressão dos dedos

– Escamas brilhantes, bem aderentes à pele, e nadadeiras apresentando certa resistência aos movimentos provocados

– Carne firme, consistência elástica, da cor própria da espécie

– Odor próprio, característico da espécie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *