Covid-19: Estado do Rio não autorizará uso de doses da vacina reservadas para Prefeitura do Rio

A Secretária de Estado de Saúde (SES) não autorizará o uso das vacinas pela prefeitura que estão reservadas para a segunda dose da imunização contra a covid-19, informa o Jornal O Dia. O pedido foi feito pelo município do Rio após constatar que será necessário interromper a campanha de vacinação nesta terça-feira (16) por falta de vacinas.

A SES informa que não entregará vacinas destinadas a segunda dose para ampliar a aplicação da primeira. Segundo a assessoria de imprensa da SES, o estado do Rio seguirá o Programa Nacional de Imunização (PNI), o calendário de vacinação definido pelo Ministério da Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicitou, nesta segunda-feira (15), que a SES libere a utilização de 50 mil doses da Coronavac para continuar a campanha de vacinação no município do Rio de Janeiro. Estes imunizantes foram entregues à cidade na semana passada e ficariam guardadas por 28 dias, até serem utilizadas para a aplicação como segunda dose da vacina.

Segundo o secretário Daniel Soranz, com mais 50 mil doses seria possível continuar a vacinação por mais três dias, imunizando idosos de 80 a 82 anos. Soranz defende que a campanha não deve ser interrompida pois uma nova leva da vacina será entregue pelo Instituto Butantan na próxima semana.

Falsa aplicação da vacina no Rio

Três idosos, um senhor de Niterói, na Região Metropolitana, uma senhora de Petrópolis, na Região Serrana, e outro senhor do Rio de Janeiro, foram vítimas de falsa aplicação da dose da vacina contra covid-19. Vídeos feitos por parentes mostram o momento em que os profissionais de saúde aplicam a seringa no braço dos idosos, mas eles não recebem a dose do imunizante.

Em Niterói, o caso aconteceu, na última sexta-feira (12), no posto de vacinação drive-thru no Campus do Gragoatá na Universidade Federal Fluminense. A técnica de enfermagem inseriu a agulha, mas não empurrou o líquido. No momento em que o idoso é vacinado, os parentes comemoraram, mas, após reverem o vídeo, perceberam que a aplicação correta não havia acontecido.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Niterói, a técnica de enfermagem foi imediatamente afastada de suas funções, assim que a pasta tomou conhecimento do caso. “O fato está sendo apurado e as medidas cabíveis serão tomadas”.

A família do idoso foi imediatamente contatada e uma visita foi agendada para o mesmo dia, no qual o médico e a enfermeira responsável realizaram a aplicação da vacina na casa do idoso.

Já em Petrópolis, uma idosa de 94 anos recebeu a “vacina de vento”, na última sexta-feira (12). Em um vídeo do ocorrido, a técnica de enfermagem tem dificuldade em abrir a proteção da agulha da seringa e o parente da idosa, que está no banco de motorista e filmando a ação, sugere trocar a seringa. Com isso, a profissional pega outra seringa, no entanto, sem a dose do imunizante contra covid-19 e aplica na idosa.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Petrópolis informou que tomou todas as providências cabíveis assim que recebeu a denúncia e confirmou que a seringa utilizada para vacinar a idosa estava vazia no momento da aplicação. As equipes fizeram contato com a família e a idosa foi vacinada no sábado (13).

Além de Niterói e Petrópolis, mais um caso de falsa aplicação da dose da vacina aconteceu no estado do Rio, dessa vez na capital fluminense. Um idoso foi ao posto drive-thru do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, para receber a dose do imunizante, mas o profissional de saúde, inicialmente, não aplicou a dose.

Nas imagens feitas pelo familiar do idoso, o profissional aplica a agulha, porém ele não aperta a seringa. Segundo o parente, outra pessoa da equipe alerta que a vacinação não foi realizada e, então, só após a notificação, o profissional aplica a dose da vacina corretamente.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio de Janeiro, houve uma intercorrência na aplicação da dose, que foi imediatamente resolvida. A pasta recomenda que, em caso de dúvida sobre a aplicação, os familiares questionem imediatamente os profissionais de saúde. Fotos e imagens estão totalmente liberadas no momento da aplicação da vacina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *