Cineasta alvo em operação que mira prefeito Rodrigo Neves é diretor do filme ‘Faroeste Caboclo’

O cineasta René Sampaio, um dos alvos da Operação Transoceânica que mira o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, foi diretor do filme “Faroeste Caboclo”, de 2013. Ele também dirige o longa “Eduardo e Mônica”, estrelado por Alice Braga e Gabriel Leone, que ainda não tem uma data de estreia prevista em decorrência da pandemia da Covid-19. O empresário é ainda diretor e produtor da série “Impuros”, do canal Fox Premium, que também está disponível no Globoplay. Sampaio é um dos donos da Fulano Filmes, uma das empresas supostamente usadas pelo prefeito de Niterói para se beneficiar, segundo denúncia do Ministério Público Federal (MPF).

Na manhã desta quarta-feira, dia 16, a Polícia Federal e o MPF deflagraram uma operação que mira o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e supostas irregularidades na Prefeitura. Os agentes cumprem mandados de busca e apreensão referentes a supostas irregularidades nas obras da Transoceânica Charitas-Engenho do Mato, que ficou R$ 34 milhões mais cara do que o previsto, e contratos de publicidade firmados pelo governo municipal. René Sampaio é um dos 11 investigados, além de Neves, e teve seu sigilo telefônico, bancário e fiscal quebrados pelo MPF. Os mandados de busca de apreensão foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal (TRF) após autorização do desembargador federal Marcello Granado a pedido do procurador regional da República, Carlos Aguiar.

Conforme a denúncia do MPF, Neves e outros alvos, André Felipe (assessor de Neves), Renato Pereira (ex-marqueteiro de Neves), William Passos e Eduardo Villela (sócios da empresa Prole), em conjunto com a empresa KRM Produções Audiovisuais LTDA, Krysse Mello Gonçalves e René Sampaio de Honorário Ferreira, teriam simulado a contratação da empresa Fulano Filmes (nome fantasia da KRM) com o pretexto de executar um serviço de assessoria de imprensa.

A Fulano Filmes possui como sócios René Sampaio de Honorário Ferreira e Krysse Mello Gonçalves, mas já teve em seu quadro societário o próprio colaborador Renato Pereira, todos alvos da investigação. Segundo o MPF, “há registros de atuação em campanhas políticas, como a do ex-governador Sérgio Cabral e do próprio Rodrigo Neves, neste caso através da empresa Barry Company Produções Audiovisuais LTDA, cujo o quadro é composto pelos mesmos sócios da Fulano Filmes, Krysse e René”. A campanha de Neves teria pago R$ 1.748.000,OO milhão nas eleições de 2016 para o cargo de prefeito. No mesmo período, a prefeitura de Niterói pagou à Fulano Filmes cerca de R$ 7 milhões como contrapartida de uma suposta assessoria de imprensa.

“Os registros sugerem a adoção de estratégia para simular um contrato de publicidade e justificar a movimentação de recursos públicos que, a pretexto de pagar por esses serviços de assessoria e publicidade, se prestariam, em verdade, ao enriquecimento ilícito dos investigados e até mesmo ao pagamento de campanha política de forma simulada para o então candidato Rodrigo Neves”, diz a denúncia do MPF.

O Globo*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *