Cidades do Norte e Noroeste monitoram água do Rio Muriaé após acidente com carreta carregada de produto químico

Cidades do Norte e Noroeste Fluminense estão monitorando a água do Rio Muriaé após um acidente com um caminhão que carregava produtos químicos próximo a um dos afluentes do rio em Muriaé, Minas Gerais.

O veículo transportava 32.420 kg de monoetilenoglicol, usado para produção de poliéster, anticoagulante e líquido de arrefecimento. De acordo com o Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência, o produto químico derramado no acidente não chegou a atingir o curso de água que passa pelo trecho, conhecido como “Ponte do Muratóri”.

Ainda assim, a Polícia Rodoviária Federal e os bombeiros estiveram no local para o recolhimento do restante do produto, que foi feito pela empresa responsável pela carga.

Concessionárias de água de cidades banhadas pelo Rio Muriaé também seguem acompanhando a situação.

A Prefeitura de Itaperuna, no Noroeste Fluminense, emitiu um comunicado informando que as águas do Rio Muriaé não foram contaminadas com o produto químico. Segundo a Prefeitura, os órgãos competentes estão monitorando a situação e estão sendo feitos testes na água distribuída pela Cedae.

Até o momento, não foi verificada nenhuma contaminação. De acordo com a concessionária “essas ações preventivas e de monitoramento continuarão o tempo que for necessário”.

A Prefeitura de Italva também divulgou nota informando que, até agora, não houve qualquer tipo de contaminação.

Ainda segundo nota, a água do afluente próximo onde o acidente aconteceu deve chegar ao município na tarde desta quinta-feira (28). “Até lá, a população terá o seu abastecimento de água feito pela Cedae dentro de sua normalidade, assim como não haverá nenhuma paralisação da pesca em nosso rio”, informou, acrescentando que a Defesa Civil segue acompanhando o caso.

O município de Cardoso Moreira também publicou nota informando que não foi constatada contaminação do Rio Muriaé e que, por isso, não haverá interrupção no abastecimento proveniente do rio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *