22/05/2024
Campos

CCZ de Campos alerta a população para os criadouros do Aedes aegypti

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), alerta a população em relação aos criadouros do mosquito Aedes aegypti. Pesquisas realizadas em campo indicam que os grandes reservatórios, como caixas d’água, galões e tonéis, são os criadouros que mais reproduzem o mosquito e, portanto, os mais perigosos. Isso não significa que a população possa descuidar da atenção a pequenos reservatórios, como vasos de plantas, calhas entupidas, bebedouros de animais, pneus, entre outros.

O coordenador do Programa Municipal de Controle de Vetores (PMCV), Claudemir Barcelos, destacou que o descarte irregular de lixo tem dificultado o combate ao mosquito. “Os materiais que são encontrados nos terrenos, como potes de plásticos, restos de mobiliário, pneus, copos ou garrafas, podem acumular água no período chuvoso e servir de criadouros para o Aedes aegypti. O Centro de Controle de Zoonoses disponibiliza gratuitamente, em sua sede, telas de proteção para moradores que possuem caixas d’água sem tampa”, disse. O CCZ fica localizado na Avenida Presidente Vargas, 132, no bairro Pecuária.

Vale ressaltar que o descarte irregular é crime, conforme a Lei Federal n° 9.605/1998, Lei de Crimes Ambientais, com penalidade prevista no artigo 54. A prática pode levar à reclusão, detenção ou pagamento de multa no valor de até 10 salários mínimos.

O município também disponibiliza os Pontos de Entrega Voluntária de Entulhos (PEVEs), popularizados como entulhódromos, para receber os resíduos para a logística reversa. Os sete PEVEs em funcionamento estão situados na Avenida Nossa Senhora do Carmo, no Parque Aurora; Parque Santa Rita, atrás do Hospital Geral de Guarus (HGG); Avenida Zuza Mota; Penha; Caju; Flamboyant e Julião Nogueira. Outros três PEVEs, um no Parque Eldorado, em fase de conclusão, e outros dois em Goitacazes e Ururaí, que estão sem fase de planejamento, serão implantados no município. Os entulhódromos têm área média de 1.600 metros quadrados e contam com guarita e área reservada para material reciclado.

Claudemir alertou também para os pequenos reservatórios que servem de criadouro do mosquito. “O CCZ tem encontrado muitos focos em pratinhos de planta e nos reservatórios que ficam atrás da geladeira, além de vasos sanitários fora de uso e pneus. O recomendado é eliminar os pratos de plantas ou furá-los, adicionar areia a eles não é mais recomendado. Já os pneus devem ser mantidos em locais cobertos ou descartados no Ecoponto, que fica na Avenida Carlos Alberto Chebabe, no bairro Ceasa. Também é importante alertar que os bebedouros de animais devem ser lavados todos os dias e não só trocar a água deles. Caso o morador precise fazer alguma viagem, o recomendado é lavar o pote antes de viajar e pedir alguém para realizar essa limpeza em sua ausência”, informou Claudemir.

Secom*

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *