Caso Marielle: Justiça quebra sigilo fiscal e bancário de Ronnie Lessa e Élcio Queiroz

A Justiça do Rio quebrou o sigilo fiscal e bancário de Ronnie Lessa e Elcio Queiroz, presos e acusados de terem assassinado Marielle Franco e Anderson Gomes, em 14 de março de 2018. A Delegacia de Homicídios tenta atualmente descobrir os possíveis mandantes do assassinato.

A decisão também determinou a quebra dos sigilos de outras quatro pessoas suspeitas de atuarem como “laranjas” de Elcio e Ronnie.

Entre os bens imóveis e imóveis que tiveram o bloqueio pedido pela polícia e aceito pela Justiça do Rio, estão os itens abaixo. A soma dos itens alvos de bloqueio é de R$ 2,7 milhões.

  • Imóvel na Barra da Tijuca, avaliado em R$ 1,250 Milhão
  • Terreno no condomínio Porto Galo, em Angra dos Reis, avaliado em R$ 600 mil
  • Terreno em Mangaratiba, avaliado em avaliado em R$ 300 mil
  • Lancha Real 330 Special Edition avaliada em R$ 450 mil
  • Veículo Jeep/Renegade Sport AT avaliado em R$ 70 mil
  • R$ 61, 293 mil apreendidos na casa de Ronnie Lessa, na Barra da Tijuca
  • R$ 50 mil apreendidos na casa dos pais de Lessa

A Polícia Civil acredita que o patrimônio de Lessa, encontrado durante as investigações, é incompatível com a renda de um PM reformado. Há suspeitas, baseadas na movimentação financeira avaliada, de que o dinheiro possa ser fruto de atividades ilícitas, como comércio ilegal de armas de fogo.

A suspeita desta última atividade foi reforçada pela apreensão de 117 fuzis incompletos na casa de um amigo de Lessa, no Méier.

G1*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *