Cabral afirma que sabia de propinas na Secretaria Estadual de Obras

O ex-governador Sérgio Cabral afirmou que sabia do esquema de propinas na Secretaria Estadual de Obras envolvendo licitações em construções em cidades da Baixada Fluminense e da Região Metropolitana do Rio. Documentos apreendidos pelo Ministério Público Federal mostram que a propina recebeu o nome de Taxa de Oxigênio.

Em depoimento ao juiz federal Marcelo Bretas, Cabral acusou o ex-secretário estadual de Obras, Hudson Braga, de ser o criador do esquema. O MDBista detalhou que os valores pagos pela empresa Oriente eram de 1% do montante total da obra.

Cabral confessou ter recebido dinheiro dos empresários, porém, ainda durante a primeira campanha para governador. Os valores, segundo ele, chegaram como doação de campanha. Durante a gestão, ele disse que não foi beneficiado.

O ex-secretário Hudson Braga negou as acusações. Ele explicou que por determinação do então governador Sérgio Cabral e do vice, Luiz Fernando Pezão, fazia apenas a articulação entre os executivos da empresa Oriente e quem deveria receber as propinas. O dinheiro era uma espécie de complemento de salário para servidores e assessores da pasta.

Hudson Braga foi preso na Operação Calicute, braço da Lava Jato, em novembro de 2016. O ex-secretário teve condenações por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro. Braga foi solto numa decisão do STF.

O juiz Marcelo Bretas ainda ouviu na audiência o ex-assessor da secretaria de obras, Wagner Jordão, que se negou a responder às perguntas.

O ex-funcionário da Oriente, Alex Sardinha, e o antigo sócio da empresa, Geraldo André de Miranda, também foram ouvidos e disseram que desconhecem o esquema.

Fonte: BandNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *