Eike Batista fica em silêncio em depoimento no Tribunal de Justiça do Rio

O empresário Eike Batista usou do direito constitucional de permanecer calado durante seu depoimento nesta quarta-feira, dia 15, ao juiz Alessandro Felix, da 51ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio. Eike é réu em um processo por danos materiais da comarca de São Paulo, em que é acusado de fazer falsas promessas aos acionistas da empresa OGX, quando a empresa já não ia bem.

O autor da ação é Anderson Formenton Luciano, um empresário paulista que alega ter sofrido prejuízos com a falência da OGX. Segundo Anderson, Eike Batista enviava periodicamente comunicados aos investidores falando sobre os progressos da empresa o que, em sua opinião, tinha como objetivo enganá-los com falsas promessas de lucro, enquanto a realidade era bem diferente da alardeada pelo proprietário da companhia.

Entre as perguntas formuladas pelo advogado de Anderson, e não respondidas por Eike, estavam o que o empresário pretendia fazer para reparar os danos materiais causados a terceiros, e em que momento ele ficou sabendo que não havia petróleo nos poços da OGX.

O processo corre em São Paulo, mas como Eike mora no Rio ele foi ouvido por meio de carta precatória, pelo juiz Alessandro de Oliveira Felix. A OGX Petróleo e Gás também é ré na ação, porém o representante legal da empresa não foi encontrado no endereço fornecido pelo autor da ação.

A carta precatória, agora, voltará para a vara de origem, em São Paulo, onde corre o processo contra Eike.

Proc. 007884344.2018.819.0001

Fonte: TJRJ

Comente

%d blogueiros gostam disto: