ACIC acredita que fase amarela vai prejudicar o comércio campista

A Associação Comercial e Industrial de Campos- ACIC- acredita que esse não é o melhor momento para que a Prefeitura de Campos implantar o retorno da fase amarela, conforme o Decreto nº 365 para combater o avanço da Covid-19, estabelecendo restrições para o comércio, como redução do número de pessoas no interior dos estabelecimentos, circulação e pessoas nos shopping até às 22h, suspensão do takeaway após as 23h, entre outras medidas que entraram em vigor nesta segunda-feira dia 30 e vão permanecer até o próximo dia 6 de dezembro.

De acordo com o presidente da ACIC, Leonardo Castro de Abreu, mais uma vez o comércio vai pagar a conta, mesmo tendo seguido todas as orientações de saúde para evitar as aglomerações. “ Entendemos que o número de casos de pacientes infectados pela Covid-19 aumentou, mas durante o período eleitoral a Justiça Eleitoral liberou os comícios e concentrações entre os candidatos e o público e a fiscalização por parte do órgão responsável não conseguir atuar em todos os locais. Agora, vem esse Decreto nº 365 que entrou em vigor nesta segunda-feira e puni os empresários que cumpriram todas as exigências previstas pelos Decretos anteriores” concluiu.

Os empresários aguardam um crescimento no comércio por parte do consumidor a partir desta segunda-feira(30), considerando o prazo máximo para o pagamento da primeira parcela do 13º salário por parte dos empregadores, que geralmente resulta no aumento das vendas, destacou Leonardo Castro. “ Este ano, vivemos uma situação atípica, já que muitos trabalhadores estão optando em pagar contas atrasadas, para poder manter o crédito e outra parcela deve antecipar as compras do natal e prestigiar o comércio local, o que seria um alivio para os empresários que enfrentaram num ano de muitas dificuldades devido à pandemia da Covid-19. Entre os meses de março a junho, as lojas ficaram com as portas fechadas, causando desemprego e queda no setor” concluiu o presidente da ACIC .

Preocupação- A ACIC entende que o aumento da doença é preocupante. Mas explica que o comércio não pode ser penalizado pelo crescimento da doença no município, já que vêm cumprindo todas aas medidas preventivas previstas pelo Gabinete de Crise para Ações de Prevenção, Combate e Enfrentamento ao Coronavirus, como disponibilidade de álcool gel, controle do acesso do público nas lojas. A retomada da fase amarela acaba criando um clima de medo entre a população, que acaba se afastando das ruas e do comércio

Veja as principais alterações da Fase Amarela (decreto nº 365/2020):

* Circulação de pessoas em shoppings – até às 22h, com 50% da capacidade (crianças impedidas);
* Salões de beleza (50% da capacidade);
* Eventos religiosos (30% da capacidade);
* Bancos (50% da capacidade);
* Restaurantes- impedimento do acesso de crianças;
* Vedado o takeaway após às 23h;
* Acesso à Serra do Itaoca estará impedido nos finais de semana e feriados;
* Eventos não poderão acontecer nesta fase, além da não utilização do uso de praças.

Ascom*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *