Vereador Jorginho Virgílio quer CPI do Fundecam

Opinião:

O vereador Jorginho Virgílio, segundo um veículo chapa branca divulgou, protocolou um pedido de informações no Fundecam.

Não se sabe se o edil quer mesmo a CPI do Fundecam ou está querendo jogar para galera.

A grande divergência que surge, pelo menos em principio, é porque o vereador da base aliada não submeteu o pedido de informações ao plenário da casa, preferindo utilizar a sua condição de cidadão para fazer um pedido de CPI.  Ou é mais um dos teatros para distrair a população?

O certo é que o pedido do vereador tem fundamento, embora se saiba que a sua pretensão promete desenterrar alguns mistérios das administrações passadas, principalmente nos governos Arnaldo Vianna e Alexandre Mocaiber.

Não são só empresas de ônibus que tem dívidas no Fundecam. Elas devem ao Fundecam, mas vem trabalhando ao longo dos anos com tarifa defasada que impede qualquer pagamento de financiamentos dos ônibus que foram comprados para servir a população de Campos.

Mas não precisa ir muito longe para descobrir quem está devendo ao Fundecam e ainda saber quais os projetos realmente foram fracassados.

Um dos projetos que dá alguns empregos é uma empresa ligada a uma indústria sucroalcooleira, ainda em atividade na baixada. Essa empresa apanhou um dinheiro emprestado no Fundecam, e até o ano passado estava executada, mas sem noticias de que o debito teria sido honrado.

Como já dito a indústria emprega e tem uma expertise no seguimento, uma vez que se encontra em recuperação judicial ao longo dos anos em processo que tramita na 4ª Vara Civil de Campos, que tem como patrono o super advogado Sérgio Bermudes.

É provável que Jorginho Virgílio ainda não saiba no vespeiro que está mexendo, bem como os diretores do veiculo chapa branca que deu a nota são amigos íntimos da família proprietária da citada indústria.

O Fundecam também andou financiando indústria de confecção de colunista do citado jornal.

De sua opinião