Vasco perde para a LDU e terá que reverter desvantagem em São Januário

Equador – Antes mesmo de sentir os efeitos dos 2.800 metros de altitude, o Vasco pagou caro pelas falhas de marcação na derrota por 3 a 1 para a LDU, na noite desta quarta-feira, no Estádio Casa Blanca, em Quito. Anangonó, duas vezes, e Jhojan Julio não desperdiçaram os ‘presentes’ da defesa. O gol de Thiago Galhardo deu uma sobrevida, mas a sequência na Sul-Americana está ameaçada.

Para avançar às oitavas de final, o Vasco jogará por uma vitória por dois gols de diferença, dia 9 de agosto, em São Januário, com a obrigação de não sofrer gols, no cenário mais favorável. Enquanto isso, os equatorianos podem até perder por um gol.

A ausência de Breno, Desábato e Yago Pikachu fez a diferença, pela experiência e qualidade, e aumentou a responsabilidade dos substitutos Oswaldo Henríquez, Cosendey e Kelvin. O início promissor, com velocidade e bom toque de bola, não durou muito tempo. A LDU impôs seu ritmo e surpreendeu a defesa adversária num contra-ataque logo aos sete minutos. Livre de marcação, Anangonó, de cabeça, abriu o placar.

Com sinais de desgaste pela maratona de três jogos em seis dias, o Vasco não resistiu à pressão e à vacilada de Ricardo. O zagueiro perdeu a bola que originou o gol de Jhojan Julio, aos 19. O apito final soou com alívio para os cruzmaltinos.

O Vasco só diminuiu o prejuízo após o pênalti sofrido por Kelvin e convertido por Galhardo, aos 8 do segundo tempo. Além do cansaço, os sintomas da altitude (falta de ar e tontura) pesaram. Depois de muita pressão, Anangonó marcou o segundo dele e deixou o Vasco sem forças para reagir.

O Dia*

De sua opinião