Seap apreende 50 celulares e drogas durante fiscalização em presídio de Campos

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) apreendeu celulares, baterias, caixas de som e drogas em uma fiscalização realizada nesta terça-feira (23) no Presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

Ao todo, foram encontrados 50 celulares, 46 baterias de celular, três balanças, seis caixas de som, dois tabletes e 364 buchas de maconha, 18 sacos grandes, três sacos menores e 253 buchas de cocaína, e duas buchas de haxixe.

Todo o material apreendido na unidade prisional foi encaminhado para a 146ª Delegacia Legal de Guarus.

Segundo a Seap, a secretaria está operacionalizando novas ações de fiscalizações sistemáticas e aleatórias em todas as unidades prisionais, com o objetivo de coibir a entrada de materiais ilícitos e celulares.

Ainda de acordo com o órgão, as fiscalizações resultaram em um aumento de 52% na quantidade de apreensões, em relação ao mesmo período do ano passado.

A Seap informou também que solicitou ao Gabinete de Intervenção Federal aparelhos para bloquear os sinais de celulares, que estão em fase de aquisição.

Operação Verde Oliva

Na última semana, a Operação Verde Oliva prendeu um grupo de pessoas suspeitas de envolvimento em tráfico de drogas e homicídios em Campos. Escutas telefônicas mostram que o grupo agia de acordo com ordens que partiam de dentro do presídio.

As investigações apontam que o homem responsável por essas ordens, Cassiano Soares da Silva Vicente, conhecido como “Cotó”, seria responsável por vários assassinatos na cidade.

Entre os presos na operação estão um jogador de futebol e um petroleiro. Segundo as investigações, o petroleiro é suspeito de fornecer armas e munições para criminosos, além de treinar os suspeitos para agirem como atiradores.

G1*

De sua opinião