Safra de cana agrava doenças respiratórias na região

Opinião:

Apesar de o período ser crítico em relação à umidade do ar na região, com a proliferação de forma exagerada das doenças respiratórias com graves complicações, sendo dentre elas o H1N1, dengue, chikungunya e outros.

As principais vítimas são as crianças e os idosos, vez que ficam em maior estado de vulnerabilidade das doenças.

O quadro vem se agravado ao longo dos anos em Campos e região com o inicio da safra e a colheita da cana de açúcar da forma como é feita.

É que as indústrias da região ainda utilizam o método da queima da cana para a sua colheita, o que agrava as doenças respiratórias nesse período.

No passado o Ministério Público Federal entrou com uma Ação Civil Pública e chegou a suspender a queima da cana, mas houve intervenção do governo do Estado, à época, que concedeu mais um tempo para que as indústrias sucroalcooleiras da região se adaptassem a novos métodos de colheita, sem a necessidade da queima da cana.

Além dos problemas respiratórios a cidade fica refém e uma fuligem que suja tudo nesse período.

É preciso dar a Cesar o que é Cesar.

De sua opinião