Quebra-molas vira divergência entre vereadores na cidade

A colocação de um quebra-molas na Avenida Alberto Lamego se transformou no dia de hoje em um debate político salutar.

É que dois vereadores dizem ser o pai da criança.

Como filho feio não tem pai, logo em seguida acontece um acidente com um motoqueiro porque o quebra-molas estava sem sinalização, que só foi providenciada após o acidente.

O debate entre os dois vereadores é a prova inequívoca de que a cidade de Campos jamais foi tão humilhada a ponto de ter uma obra para os vereadores divergirem.

Os vereadores da base aliada, segundo o próprio Diário Oficial do Município, transformaram a prefeitura em uma vara de família privada, onde o vereador emprega esposa e ex-esposa, cunhados, sogras, irmãos, filhos, e fazem as exonerações de acordo com o seu interesse pessoal e privado.

Nunca se viu assuntos da vara de família ser resolvido com DAS.

Isso pode não terminar bem. Temos dois bons exemplos. Tereza Collor e Niceia Pitta. A primeira cunhada do ex-presidente Collor e a segunda esposa do ex-prefeito Celso Pitta de São Paulo.

O poder é perigoso e muitas vezes embriaga as pessoas. Mas como tudo é passageiro vamos aguardar o Diário Oficial para saber qual será a contemplação ou retaliação da fila.

Nunca se viu uma Câmara de Vereadores dar tanto problema em tão pouco tempo.

De sua opinião