Prefeito Rafael Diniz entrega certificados a bolsistas dos projetos Viva Ciência

O prefeito Rafael Diniz entregou na tarde desta segunda-feira (12) os certificados aos 195 bolsistas de projetos da primeira fase do Viva a Ciência — 30 do Viva a Ciência 2018, 60 da nova edição e 105 do Viva a Ciência na Escola. A solenidade aconteceu no Teatro Trianon e reuniu mais de 600 pessoas, entre bolsistas, familiares, professores e reitores e diretores das universidades e faculdades de Campos.

Os programas da Prefeitura de Campos são voltados a estudantes universitários e do Ensino Fundamental da rede municipal com o objetivo de fomentar a pesquisa em projetos de interesse para a gestão do município. Os dois projetos são iniciativa da Superintendência de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) em parceria com o Fundecam e a secretaria de Educação Cultura e Esporte (Smece).

– Este é um trabalho de construção coletiva, da Prefeitura, professores, da Academia e dos pais dos alunos. Quando lá atrás eu recebi a ideia do Viva a Ciência, de imediato abracei por uma única questão: é necessário que a prefeitura esteja junto à Academia. O conhecimento já está pronto há muito tempo nas nossas universidades, faltava desejo de trazer para dentro da gestão pública, para que se apontem os caminhos para a transformação da nossa cidade. E fomos além quando entendemos que ofertar bolsa científica para os universitários também seria importante para os nossos alunos da rede municipal. Mostramos que, desde jovem, ele (aluno) já pode transformar o mundo pela ciência, pela inovação, pela tecnologia, pelo estudo – disse o prefeito Rafael Diniz.

A estudante do 4º ano de Medicina, Inês Raquel Alves, desenvolveu uma pesquisa sobre a “Redução da Sífilis Congênita na Cidade de Campos” e disse se sentir honrada em participar do programa Viva a Ciência. “Pude pesquisar um assunto muito sério e relevante. O Viva Ciência é um projeto muito importante para nós, estudantes, mas também muito importante para a cidade. Pude expandir muito meus conhecimentos sobre o assunto”, disse.

Para cada universitário, a bolsa é de R$ 400. Para cada estudante do Ensino Fundamental e Ensino de Jovens e Adultos, a bolsa é de R$ 120 e os professores orientadores recebem uma taxa única de bancada de mil reais. O Fundecam é o responsável por custear as bolsas mensais liberadas para os estudantes com recursos próprios, como explicou o presidente do Fundo, Rodrigo Lira.

– Vivemos uma revolução silenciosa por meio do investimento na educação, na ciência e na tecnologia. Acreditamos que podemos mudar vidas através destes projetos. O “Viva a Ciência” e “Viva a Ciência na Escola” são possíveis devido a crédito recuperado pelo Fudecam e, antes, dado por perdido. Estamos trabalhando muito para que voltem aos cofres públicos valores devidos e que nos permitirão investir, cada vez mais, em nossa cidade – disse Rodrigo. “O prefeito Rafael Diniz solicitou nossa atenção à educação e pediu que fôssemos além das universidades e se pensasse no ensino público fundamental. Vamos avançar ainda mais e lançaremos o Viva a Ciência na Empresa. Já estamos trabalhando também em um projeto para a cultura, através do Fundecam Economia Criativa”, frisou o superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação, Romeu e Silva Neto.

O Viva Ciência na Escola foi lançado em março deste ano. Ao todo, participam 35 projetos, de 20 escolas municipais, beneficiando diretamente 105 alunos de Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) e da VI à IX fase da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Cada aluno recebe mensalmente uma bolsa de 120 reais e os professores orientadores uma taxa única de bancada de mil reais.

SupCom*

De sua opinião