Pacientes com suspeita de chikungunya não conseguem atendimento em Campos

O CRDI, em Campos, amanheceu com enorme fila e pacientes aguardando por uma consulta — Foto: Cléber Rodrigues/Inter TV

Os pacientes com suspeita de chikungunya lotaram o Centro de Referência de Doenças Imuno-infecciosas (CRDI), em Campos dos Goytacazes, em busca de uma senha para atendimento nesta segunda-feira (13). Muitos foram embora sem conseguir.

O CRDI atende pessoas com suspeita de zika, dengue, chikungunya e doenças imuno-infecciosas. Segundo os pacientes, foram distribuídas 250 senhas na parte da manhã e às 8h40 já tinham acabado.

“Cheguei aqui e acabaram as senhas, eu não aguento mais. Estou aguardando há 20 dias para saber se estou com chikungunya”, diz Vera Lúcia Tavares.

As pessoas relatam que a procura por atendimento é grande, mas são poucos profissionais.

“Acho que poderia ter mais gente para atender as pessoas. Estou com dor no corpo, com a mão sem mexer, dor na vista e nas pernas”, relata Maria Elizabete Gomes, de 65 anos.

Os pacientes esperam horas sem lugar para sentar.

“Eu acho uma humilhação ficar esperando, sentindo dor. Estou aqui desde às 4h com muita dor para ficar em pé”, lamenta Lucinente Silva.

O funcionamento do local acontece de segunda a sexta-feira, a partir das 8h, em um prédio anexo ao Hospital dos Plantadores de Cana (HPC), na Avenida José Alves de Azevedo.

G1*

De sua opinião