O lixo de São Francisco do Itabapoana e o diário de uma cartomante

A cada dia a historia do lixo de São Francisco do Itabapoana ganha um capitulo novo.

O mais recente é a participação de uma cartomante da cidade de São Francisco do Itabapoana, que entrou no circuito na tentativa de dar uma conotação espiritual para uma advogada que reivindica informações sobre o serviço de coleta de lixo na cidade.

Existem precedentes raros, mas São Francisco do Itabapoana consegue se superar no grau de resolutividade que se apresenta.

Agora já surge uma nova versão que é a requisição das filmagens das câmeras da praça de pedágio de Guandu, onde, necessariamente, os veículos de SFI, Campos dos Goytacazes, São João da Barra e outros deveriam cruzar todos os dias.

Não é preciso muito esforço para saber que esses veículos não são vistos na BR-101.

Nesse aspecto já se sabe que um competente advogado recém-chegado a SFI especialista em delação já teria a tese pronta. O lixo chega de avião.

Justiça seja feita não é só o lixo de SFI que não passa na praça de pedágio de Guandu. Sem muito esforço podemos colocar o lixo da União Norte de São João da Barra, e o da Vital de Campos.

De sua opinião