Mulher é presa em Niterói por vender joias falsas pela Internet

Rio – Agentes da Delegacia de Combate à Pirataria prenderam, na quarta-feira, uma jovem especialista em falsificar joias da maior joalheria do país, a H. Stern, que fez a denúncia do crime. Mariana Souza da Mota, de 24 anos, responderá pelo crime de falsificação, contrabando e descaminho. Ela foi presa em casa, que fica em um condomínio de luxo no bairro Cantagalo, em Niterói, na Região de Pendotiba.

A jovem, que costumava viajar para o exterior, comprava as joias na Índia, segundo investigações. De acordo com a especializada, a investigação durou cerca de três meses e começou após um funcionário da H.Stern desconfiar dos produtos.

Joias falsificadas apreendidas pela polícia – Severino Silva / Agência O Dia

Os policiais descobriram que Mariana vendia as peças em sites e redes sociais como se fossem verdadeiras. Ela cobrava entre 5 mil reais a 12 mil reais por cada peça. Em depoimento, Mariana negou o crime.

Todas as joias ao serem vendidas devem possuir um certificado de autenticidade. Segundo os investigadores, os documentos fornecidos por Mariana, junto com suas joias, eram falsificados para convencer seus consumidores.

Segundo o delegado do caso, Maurício Demetrio, “não se trata de alguém pobre que está comercializando. Ela é uma pessoa de classe media alta que cometeria esse tipo de crime. Porém, no imaginário da sociedade só seria cometido por camelôs. Vamos seguir na apuração do caso”.

Em sua casa, os investigadores cumpriram um mandado de busca e apreensão e encontraram colares, brincos e pulseira que, segundo a perícia, são falsificações avaliadas em meio milhão de reais, além de moldes para confecção de novas joias.

A Polícia Civil vai encaminhar um relatório à Polícia Federal para investigar se as pedras falsas entravam no Brasil por contrabando.

“Agora, queremos saber a origem das pedras, pois identificamos diversas viagens dela para o Oriente Médio”, declarou o delegado, que ainda fez um alerta: “Se a oferta for muito inferior ao preço real utilizado no mercado é preciso desconfiar”.

Se condenada, Mariana pode ficar até dois anos na cadeia. No entanto, ela vai responder ao inquérito em liberdade.

Galeria de Fotos

Joias eram vendidas pela internet como sendo originais da H.Stern e acompanhavam certificados falsos de autenticidade

Mariana Souza Mota, de 24 anos, foi presa por falsificar joias e vender como originais da H.Stern na InternetDIVULGAÇÃO

Mariana Souza da MotaREPRODUÇÃO INTERNET

Mariana Souza da MotaREPRODUÇÃO INTERNET

Jovem exibia joias nas redes sociaisREPRODUÇÃO INTERNET

Joias falsificadas apreendidas pela políciaSEVERINO SILVA / AGÊNCIA O DIA

Polícia apreendeu joias falsificadas com MarianaSEVERINO SILVA / AGÊNCIA O DIA

Apreensão de joias falsificadas,apresentada na cidade da policia Zona Norte do Rio Foto Severino Silva Agencia O DiaSEVERINO SILVA

 Polícia apreendeu joias falsificadasSEVERINO SILVA / AGÊNCIA O DIA

Fonte: O Dia

De sua opinião