Mansão de Sérgio Cabral fica sem oferta e vai a novo leilão

Ainda não foi desta vez que a mansão de Mangaratiba, de Sérgio Cabral, foi vendida. Apenas dois itens dos 21 lotes de bens do ex-governador do Rio de Janeiro foram arrematados no leilão de hoje (4), no auditório da Justiça Federal: um jet-ski e um jet-boat. A casa não recebeu ofertas e terá o preço mínimo reduzido.

A determinação para a venda é do juiz Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal, responsável pelos desdobramentos da Operação Lava Jato, no Rio de Janeiro. Na primeira tentativa de leilão do imóvel, o certame foi suspenso pelo desembargador federal Abel Gomes.

Um novo leilão está marcado para o próximo dia 13. E, desta vez, todos os itens levados ao pregão estarão com descontos sobre o preço de hoje. O lance mínimo da mansão à beira das águas de Mangaratiba, com 462 metros quadrados, cairá de R$ 8 milhões para R$ 6,4 milhões.

O jet-boat foi arrematado por R$ 85.500 (lance mínimo de R$ 40 mil). E o jet-ski saiu por R$ 50 mil (lance mínimo de R$ 36 mil).

Além da mansão de Mangaratiba, outros 19 itens serão postos a leilão. Entre eles, apartamentos na Zona Sul do Rio, lanchas, carros e relógios importados. Os bens pertenciam ao ex-governador do Rio de Janeiro, sua esposa, Adriana Ancelmo; ao ex-secretario de Obras e acusado de operador financeiro de Cabral, Hudson Braga; e ao também acusado de atuar como operador do governador, Ary Filho.

Embora os dois itens tenham sido arrematados por pessoas presentes ao auditório da Justiça Federal, o leilão foi feita também pela internet. A mansão de Mangaratiba foi o item mais procurado, com 1.424 visitas virtuais. O pacote de 21 lotes está avaliado em mais de R$ 50 milhões.

EBC*

De sua opinião