Justiça apreende dois carros de Romário avaliados em R$ 500 mil

RIO — A Justiça do Rio apreendeu, na terça-feira, dois carros do senador Romário (Podemos-RJ), pré-candidato ao governo do Rio. Os veículos — um Audi RS6 Avant e um Peugeot Allure — estão avaliados em cerca de R$ 500 mil, segundo a tabela Fipe. Os bens já estão penhorados e serão usados para quitar parte das dívidas de Romário. Em apenas um dos processos a que ele responde, o débito com um dos credores está estimado em R$ 20 milhões. O débito é referente ao período em que o senador manteve o restaurante Café do Gol, na Barra da Tijuca, entre o fim dos anos 1990 e o início dos anos 2000.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em um condomínio na Avenida no Pepê, na orla da Barra, residência do senador quando está no Rio. Nenhum dos carros está em nome de Romário. O Peugeot, no papel, pertence à irmã do senador, Zoraidi de Souza Faria, enquanto a proprietária formal do Audi é a mãe de Romário, Manuela Ladislau Faria. A Justiça, no entanto, entendeu que o senador usa o expediente de ocultar o próprio patrimônio em nome de familiares para evitar o pagamento de dívidas.

A Justiça ainda procura outros três carros usados pelo senador — um Porsche Macan e um Hyundai Elantra, ambos em nome da irmã, e um Range Rover registrado pela mãe. Estes veículos estão avaliados em cerca de R$ 850 mil, de acordo com a tabela Fipe, e também estão penhorados. Quem também está sendo procurada pela Justiça é Zoraidi. Ao lado do irmão, ela é ré no processo, mas ainda não foi encontrada para ser notificada formalmente. Recentemente, Zoraidi foi procurada em Jacarepaguá, na casa que consta como sua residência nos registros oficiais, mas não foi localizada.

Outros dois apartamentos de Romário no mesmo edifício onde os mandados foram cumpridos terça já foram leiloados para quitar débitos. Apesar de proprietário, o pré-candidato não alterou o registro dos imóveis, que ficaram durante anos em nome da construtora que efetuou a venda. À Justiça, a empreiteira informou que uma empresa cujo sócio é Romário comprara os dois apartamentos, que, então, foram a leilão.

No mês passado, O GLOBO mostrou que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) encontrou indícios de lavagem de dinheiro em movimentações financeiras de Romário. Um relatório identificou que o senador usa uma conta em nome da irmã, por meio de uma procuração, para receber recursos e fazer pagamentos.

Fonte: O Globo

De sua opinião