Interno que cumpria medida socioeducativa por estupro é morto dentro do Degase

Rio – Um menor de idade que cumpria medida socioeducativa em uma unidade do Degase (Departamento Geral de Ações Socioducativas) em Cabo Frio, na Região dos Lagos, foi morto na madruga desta sexta-feira. O adolescente de 16 anos estava no Centro de Educação Dom Bosco por ter estuprado uma menina de três anos, que era sua vizinha, em junho passado. Desde então, ele estava em uma cela destinada a presos ameaçados de morte.

De acordo com o Sind-Degase, o jovem foi assassinado por outros internos que também estavam ameaçados e conviviam na mesma cela que ele. A decisão de matá-lo serviria como forma de tentar se redimir com as suas respectivas facções. Dois maiores de idade e um menor assumiram a autoria do crime. As causas da morte ainda estão sendo apuradas.

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil foi acionada e esteve no local para fazer a perícia e apurar as circunstâncias do crime. O diretor, Alexandre Azevedo de Jesus, e o sub-diretor do Degase, Sylvio Amand, também estiveram na unidade.

Represálias

Antes de ser internado no Degase, o adolescente já havia sido mutilado e quase assassinado por traficantes da localidade de onde morava, no bairro São Jacinto, na zona rural de Cabo Frio. Com golpes de facão, o menor teve a mão decepada. Ele só escapou da morte naquele momento porque o facão não estava afiado.

Ele teve a mão decepada por traficantes da localidade onde morava – Divulgação / Polícia Civil

De sua opinião