Indio declara que não vai apoiar candidatos ao governo do RJ no 2º turno

Com a definição do segundo turno das eleições para o governo do Rio de Janeiro, que terá Wilson Witzel (PSC) e Eduardo Paes (DEM) na disputa, foi dada a largada pela caça aos votos distribuídos entre os candidatos derrotados no último domingo (7).

Indio da Costa do PSD, que terminou a eleição na 6ª colocação, com 5,95% dos votos válidos, foi o primeiro a declarar oficialmente sua posição. O candidato não irá apoiar nenhum dos dois postulantes ao cargo de governador.

Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa do candidato, “Indio agradece a atenção dos eleitores; agradece a paciência de toda a população com o tempo de campanha e deseja o melhor para o estado do Rio de Janeiro; Indio não vai apoiar nenhum dos candidatos”, dizia a nota.

Para os demais concorrentes, um possível apoio só será definido nos próximos dias. Terceiro colocado no pleito, Tarcísio Motta (Psol) não quis se posicionar por enquanto. Também seguiram a mesma estratégia os candidatos Romário (Pode), Pedro Fernandes (PDT), Marcelo Trindade (Novo), André Monteiro (PRTB) e Dayse Oliveira (PSTU).

A professora Marcia Tiburi, candidata pelo PT, anunciou que tomará uma posição depois da reunião executiva do partido, na próxima quinta-feira (11).

Para Garotinho (PRP), que teve sua candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e decidiu apoiar a eleição de Romário ainda no primeiro turno, a estratégia é não se pronunciar por enquanto.

Já o senador eleito pelo PSL, Flavio Bolsonaro, que apoiou a campanha de Wilson Witzel (PSC) para o governo do estado, se reunirá nesta terça-feira (8) com os 13 deputados eleitos para a Alerj para consultá-los a respeito do apoio do partido para o segundo turno. A palavra final, no entanto, será do deputado federal e candidato à presidência da república Jair Bolsonaro.

Fonte: G1

De sua opinião