Governo do Estado: Lá vem o juiz

Opinião:

Está chegando a hora de a onça beber água.

Os institutos de pesquisa que levavam propina de empreiteiras para proteger a turma de Cabral no Rio permanecem em silencio.

Isso é a prova de que a candidatura do juiz Wilson Witzel está suportando a entrada do Psol e parte do PT na campanha de Eduardo Paes.

É que parte do PT já tinha deixado à candidata Márcia Tiburi para trás desde o primeiro turno.

Um dos casos de infidelidade é do ex-prefeito de Maricá Washington Quaquá, que não teve seus votos totalizados em razão do indeferimento da sua candidatura de deputado federal.

Segunda-feira é provável que tenham uma ressaca muito grande. Muitos aliados de Cabral que foram pedir colo ao juiz e não conseguiram já estão procurando o guichê da 1001.

É porque se demorar muito não ver ter como nem abastecer o carro.

A próxima parada da turma será a prefeitura de Campos, atual ninho da turma de Cabral.

Sabe-se que Rafael Diniz fará uma reforma administrativa para acolher a equipe do atual governo de Pezão que voltará ao seu destino.

Rafael Diniz, prefeito de Campos, não sabe o que fazer. Ontem a noite escalou uma turma para distribuir fake news pelo whatsapp pedindo clemência para que apoiem a candidatura de Eduardo Paes.

Até o candidato a vice-governador Comte Bettancourt, indicado por Rafael Diniz na chapa, foi ontem para televisão pedir votos para Eduardo Paes.

Bateu o desespero.

Quando que Eduardo Paes deixaria o candidato à vice ir pedir votos na televisão e ainda falar mal de Cabral?

O ano 2019 deverá ser de tempos difíceis para Campos.

É que a turma que está vindo do Rio deverá atrair aquelas visitas inconvenientes de 6h da manhã.

É só aguardar e conferir.

De sua opinião