Fluminense quebra jejum, vence o América-MG e fica na Série A do Brasileiro

Rio – O Fluminense se esforçou muito para ser rebaixado mesmo diante de 35 mil torcedores no Maracanã, a começar pela situação em que chegou na última rodada do Brasileiro, sem vencer há sete rodadas (oito contando a Copa Sul-Americana), passando por mais uma péssima atuação neste domingo. O América-MG ainda desperdiçou um pênalti a seu favor que Júlio César salvou antes de Richard acabar com o jejum de gols e garantir a injusta vitória por 1 a 0 e salvar o Tricolor do rebaixamento. Mesmo sem merecer, o Flu ainda garantiu uma vaga na Copa Sul-Americana com o 12º lugar. Já os mineiros foram rebaixados.

Foram necessários 803 minutos ou mais de 13 horas ou quase nove jogos (contando parte do duelo com o Nacional e parte neste domingo) para o Fluminense, enfim, acabar com o seu jejum histórico de gols. Richard foi o responsável, aproveitando escanteio em que subiu sozinho na pequena área, aos 41 minutos do primeiro tempo. Foi o alívio dos tricolores que estavam no Maracanã e viam a chance real de uma tragédia.

Isso porque o Fluminense do interino Fábio Moreno continuou jogando muito mal com as alterações na escalação (Kayke, Marlon e Airton, barrando Junior Dutra, Ayrton Lucas e Sornoza). E ainda tinha o nervosismo para piorar ainda mais, aumentando os erros e deixando o América-MG jogar solto.

Era o América-MG quem chegava com mais perigo e já tinha dado dois sustos quando, aos 24, Marlon fez pênalti bobo em Aderlan. Tensão no Maracanã que se transformou em euforia quando Júlio César pegou a cobrança de Luan, e ainda viu Rafael Moura isolar no rebote. O alívio para os tricolores foi momentâneo porque Luan ainda recebeu sozinho na área, mas o goleiro voltou a salvar a sair nos pés do atacante adversário. Na sequência, Gum ainda tirou quase em cima da linha.

Enquanto isso, o Fluminense só foi levar perigo aos 33, quando Marcos Junior chutou e João Ricardo espalmou. O jogo se mostrava dramático até que Richard, enfim desencantou para o Fluminense, com direito a muita comemoração de jogadores e torcedores pelo gol e também pela fuga do rebaixamento com a vitória momentânea.

Após o intervalo, o Fluminense deu falsa sensação de que poderia controlar o jogo, com duas chegadas perigosas ao ataque, mas bastaram cinco minutos para o América-MG voltar a ter o controle do jogo. Mais uma vez Júlio César salvou em chute de Aderlan, após pressão do Coelho. E Matheusinho isolou sozinho na área.

O jogo seguiu dramático com o Fluminense sem conseguir ficar com a bola ou criar. O time até poderia ter ampliado com Luciano em cabeçada no travessão, mas só chegava em jogadas de bola parada.

O clima no Maracanã piorava à medida que o tempo e o Fluminense piorava em campo com as mudanças forçadas por cansaço de Gum, Kayke e Airton, sendo pressionado pelo América-MG. Matheusinho, Matheus Ferraz e Rafael Moura levaram perigo, mas Júlio César garantiu com defesas seguras.

O Dia*

De sua opinião