Fiocruz e secretaria de Saúde alertam para risco de epidemia de chikungunya neste verão no RJ

Até outubro foram registrados, em média, 120 casos de chikungunya por dia no estado do Rio de Janeiro. Em função disso, pesquisadores da Fiocruz e da secretaria de Saúde alertam para o risco de epidemia neste verão e vão se reunir nesta quarta-feira (12) para definir estratégias contra a doença e também contra a febre amarela.

De janeiro a outubro foram registrados no estado 37 mil casos de chikungunya. Os pesquisadores pegaram o número desse período pelo número de casos e chegaram a esse número espantoso de 120 casos por dia. Número muito maior que o registrado no mesmo período de 2017, que foram registradas 4.825 ocorrências.

Por conta dos números alarmantes pesquisadores da Fiocruz e representantes da Secretaria de Saúde marcaram uma reunião para discutir os desafios e as estratégias para o próximo verão. Além disso, vão destacar as regiões do estado onde houve maior registro de casos de chinkungunya. São elas: Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito, Silva Jardim e Maricá.

Nessas regiões, os casos aumentaram 815% de 2017 para 2018. No ano passado foram registrados 1.756 casos e esse ano, 16.157.

De sua opinião